Wavefront-guided refractive surgery results of training-surgeons

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-08-01
Autores
Stillitano, Iane [UNIFESP]
Yamazaki, Ester [UNIFESP]
Melo Jr, Luiz Alberto [UNIFESP]
Bottos, Juliana [UNIFESP]
Campos, Mauro Silveira de Queiroz [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
PURPOSE: To assess clinical outcomes and changes on higher-order aberrations (HOA) after wavefront-guided laser in situ keratomileusis (LASIK) and photorefractive keratectomy (PRK) for correction of myopia and myopic astigmatism performed by training-surgeons. METHODS: One hundred and seventy patients had customized LASIK (207 eyes) and PRK (103 eyes) performed by surgeons in-training using the LADARVision 4000 (Alcon, Fort Worth, TX). Preoperative and 1, 3, 6 and 12 months postoperative data of spherical equivalent (SE), best spectacle-corrected visual acuity (BSCVA) and uncorrected visual acuity (UCVA) were analysed. Wavefront changes were determined using the LADARWave Hartmann-Shack wavefront aberrometer and the pupil size was scaled for 6.5 mm. RESULTS: The mean SE in the LASIK group was -3.04 ±1.07 D and in the PRK group was -1.60 ± 0.59 D. At 1-year follow-up, (80.6%) (LASIK) and (66.7%) (PRK) were within ± 0.50 D of the intended refraction. The UCVA was 20/20 or better in (58.1%) (LASIK) and (66.7%) (PRK) of the operated eyes. A statistically significant positive correlation was found between achieved versus attempted refractive correction in both groups: LASIK (r=0.975, P<0.0005) and PRK (r=0.943, P<0.005). The higher-order aberrations (HO) RMS and coma did not changed signicantly in the PRK group between preoperative and 1-year follow-up. In the LASIK group the HO RMS and coma changed between preoperative and 1-month postoperative but remained statistically unchanged during 1-year follow-up. The spherical aberration showed statistically significant changes in both groups. CONCLUSIONS: Wavefront-guided LASIK and photorefractive keratectomy performed by training-surgeons were found to be similarly effective, predictable and stable.
OBJETIVO: Avaliar os resultados clínicos e mudanças nas aberrações de alta-ordem (HOA), após ceratomileuse assistida por excimer laser in situ (LASIK) e ceratectomia fotorrefrativa (PRK) guiados por frentes de onda para correção da miopia e astigmatismo miópico realizada por cirurgiões em treinamento. MÉTODOS: Estudo prospectivo de 170 pacientes submetidos a LASIK personalizado (207 olhos) e PRK (103 olhos) realizados por cirurgiões em treinamento utilizando o LADARVision 4000 (Alcon, Fort Worth, TX). Dados do equivalente esférico (SE), melhor acuidade visual corrigida (BSCVA) e acuidade visual não corrigida (UCVA) foram analisados no pré-operatório e com 1, 3, 6 e 12 meses de pós-operatório. As alterações de frentes de onda foram determinadas usando o aberrômetro Hartmann-Shack (LADARWave)e o tamanho da pupila foi determinado para 6,5 mm. RESULTADOS: A média do SE no grupo de LASIK foi -3,04 ± 1,07 D e no grupo de PRK foi -1,60 ± 0,59 D. No seguimento de um ano, (80,6%) (LASIK) e (66,7%) (PRK) estavam dentro de ± 0,50 D de equivalente esférico. A UCVA foi de 20/20, ou melhor, em (58,1%) (LASIK) e (66,7%) (PRK) dos olhos operados. Foi encontrada correlação positiva estatisticamente significante entre correção refrativa alcançada versus pretendida em ambos os grupos: LASIK (r=0,975, P<0,0005) e PRK (r=0,943, P<0,005). O HO RMS e coma não alteraram significantemente no grupo PRK entre pré-operatório e após um ano de seguimento. No grupo de LASIK o HO RMS e o coma alteraram entre pré-operatório e 1º mês de pós-operatório, mas permaneceram estatisticamente inalterados durante um ano de seguimento. Houve alterações estatisticamente significantes da aberração esférica em ambos os grupos. CONCLUSÕES: O LASIK e o PRK guiados por frentes de onda, realizados por cirurgiões em treinamento, mostraram ser similarmente eficazes, previsíveis e estáveis.
Descrição
Citação
Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 73, n. 4, p. 323-328, 2010.
Coleções