Efeito do “Continuous positive airway pressure” (CPAP) e do Aparelho Intraoral de avanço mandibular (AIOam) nos parâmetros cardiovasculares da Apneia obstrutiva do sono de grau leve.

Efeito do “Continuous positive airway pressure” (CPAP) e do Aparelho Intraoral de avanço mandibular (AIOam) nos parâmetros cardiovasculares da Apneia obstrutiva do sono de grau leve.

Alternative title Continuous positive airway pressure (CPAP) and mandibular advancement device on cardiovascular parameters of mild Obstructive Sleep Apnea
Author Silveira, Thais de Moura Guimarães Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Bittencourt, Lia Rita Azeredo Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Psicobiologia
Abstract Objectives: To evaluate and compare the effects of Continuous Positive Airway Pressure (CPAP), mandibular advancement device (MAD) and no treatment on 24-h ambulatory blood pressure monitoring (24h-ABPM) and peripheral arterial tonometry (PAT) at 6 and 12 months follow-up in individuals with mild Obstructive Sleep Apnea (OSA), and in subgroups with presence of daytime sleepiness, hypertension, or non-dipping pattern at baseline, or who had an AHI of < 5 and adherence ≥ 4 hours per night (effective treatment subgroups). Methods: The inclusion criteria were individuals with mild OSA, any gender, aged between 18 and 65 years, and Body Mass Index (BMI) ≤ 35Kg/m2 . Patients were randomized to CPAP, MAD and no-treatment groups. The evaluations included physical examination, full polysomnography, 24-h ABPM and PAT at baseline, after 6 and 12 months. The GLMM test was used for comparisons. Results: 79 volunteers were included, 31 in the CPAP group, 25 in the AIOam group and 23 in the control group. The CPAP and MAD groups had lower AHIs than the control group at 6 and 12 months (CPAP: 1.7 ± 14.2; MAD:3.8 ± 12.6; control: 9.3 ± 5.2). The MAD group had more hours of treatment per night and better adaptation to treatment than the CPAP group (MAD: 5.7 ± 2.7 h/per night; CPAP: 3.8 ± 3.4 h/per night; MAD: 16% did not adapt; CPAP: 42% did not adapt). No differences were found in the total sample and effective treatment in relation to PAT or 24-h ABPM outcomes. Conclusion: Treatment of mild OSA with CPAP or MAD did not improve BP or endothelial function after one year, even in patients with associated daytime sleepiness, hypertension, non-dipping pattern or in effective treatment.

Objetivos: Avaliar e comparar os efeitos do Continuos Positive Airway Pressure (CPAP), Aparelho intraoral de avanço mandibular (AIOam) e nenhum tratamento (Controle) sobre monitorização ambulatorial da pressão arterial de 24 horas (MAPA-24h) e tonometria arterial periférica (peripheral arterial tonometry-PAT) após 6 e 12 meses de tratamento em indivíduos com Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) leve. As mesmas avaliações também foram realizadas nas seguintes subamostras: a) com sonolência excessiva diurna (SED), b) com hipertensão arterial sistêmica (HAS), c) com padrão de ausência de descenso da pressão arterial do sono e d) subamostra com tratamento efetivo (IAH < 5 e adesão ≥4hs uso por noite). Métodos: Foram incluídos indivíduos com AOS leve, ambos os sexos, idades entre 18 e 65 anos e índice de massa corpórea (IMC) ≤35kg/m2. Os indivíduos foram randomizados em CPAP, AIOam e sem tratamento; as avaliações foram realizadas no tempo inicial, após 6 e 12 meses de acompanhamento; incluíram exame físico, polissonografia, MAPA-24h e PAT. O teste estatístico GLMM foi utilizado para comparações entre grupos. Resultados: Foram incluídos 79 voluntários, 31 no grupo CPAP, 25 no grupo AIOam e 23 no grupo controle. Os grupos CPAP e AIOam apresentaram menor IAH que o grupo controle aos 12 meses de acompanhamento (CPAP: 1,7 ± 14,2; AIOam: 3,8 ± 12,6; controle: 9,3 ± 5,2). O grupo AIOam apresentou maior adesão em horas de tratamento por noite e melhor adaptação ao tratamento que o grupo CPAP (AIOam: 5,7 ± 2,7 h /noite; CPAP: 3,8 ± 3,4 h /noite; AIOam: 16% não se adaptaram; CPAP: 42% não se adaptaram). Não foram encontradas diferenças na amostra que finalizou seguimentos e na amostra tratamento efetivo em relação aos resultados de PAT ou MAPA de 24 horas. Conclusão: O tratamento da AOS leve com CPAP ou AIOam não melhorou a pressão arterial sistêmica e função endotelial após um ano de acompanhamento, mesmo em indivíduos com SED, HAS, padrão de ausência de descenso da pressão arterial do sono e com tratamento efetivo da AOS.
Keywords Mild Obstructive Sleep Apnea
Polysomnography
Mandibular Advancement Device
Blood pressure
CPAP
Apneia Obstrutiva do Sono de grau leve
Função endotelial
Pressão arterial
Polissonografia
Aparelho intraoral de avanço mandibular
CPAP
Language Portuguese
Sponsor Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (AFIP)
Date 2020-07-30
Published in SILVEIRA, Thais de Moura Guimarães. Efeito do “Continuous positive airway pressure” (CPAP) e do Aparelho Intraoral de avanço mandibular (AIOam) nos parâmetros cardiovasculares da Apneia obstrutiva do sono de grau leve. 2020. 57 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo.
Research area Distúrbios do Sono e suas Consequências
Knowledge area Medicina e Biologia do Sono
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 57 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.xhtml?popup=true&id_trabalho=9274976
Access rights Open access Open Access
Type Thesis
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/58777

Show full item record




File

Name: 2020 SILVEIRA, ... RA GUIMARÃES.Doutorado.pdf
Size: 1.685Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account