Determinação da relação potência-duração em exercício com membros superiores

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-08-01
Autores
Belasco Junior, Domingos
Oliveira, Fernando R
Neder, José Alberto [UNIFESP]
Silva, Antonio Carlos da [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVES: To determine the power-duration relationship in upper limb exercises and to investigate the relationships between parameters derived from this function with physiological indicators of aerobic fitness. METHODS: Ten healthy men (26.2±2.3 years, 75.0±11.8 kg, 178.2±11.5 cm and 15.0±5.7% body fat) performed a ramped test on an arm cycle ergometer with increments of 20 W/min. Subsequently, five tests with constant load were performed until exhaustion, with 70, 80, 90, 95 and 100% difference between VT1 and VO2peak. The critical power (CP) was obtained by means of linearization of the power-duration function. RESULTS: The power-duration relationship was described using an adjusted function (r=0.98±0.02). The VO2 at CP (2.66±0.62 l/min) was higher than VT1 (1.62±0.38 l/min) and VT2 (2.36±0.59 l/min), but lower than VO2peak (3.06±0.62 l/min). The CP workload (103.0±26 W) was significantly different from VT1 (69.5±21 W) and VO2peak workloads (151.0±26.3), but was no different of VT2 (103.5±30.8 W). The association between critical power and aerobic condition indexes were always significant when expressed as VO2 (0.73 to 0.78, p<0.05) and in W (0.83 to 0.91, p<0.05). Determination of CP in upper-limb dynamic exercises is simple and inexpensive, and can be used by physical therapists for prescribing and evaluating upper-limb training programs. CONCLUSIONS: The power-duration relationship in upper-limb exercises can be described by a hyperbolic function and it is associated with physiological indicators of aerobic fitness.
OBJETIVOS: Determinar a relação potência-duração em exercícios de membros superiores (MMSS) e verificar a relação dos parâmetros derivados dessa função com indicadores fisiológicos de aptidão aeróbia. Métodos: Dez homens saudáveis (26,2±2,3 anos, 75,0±11,8 kg, 178,2±11,5 cm e 15,0±5,7% de gordura) realizaram um teste de rampa em cicloergômetro de braço com incrementos de 20 W/min. Posteriormente, cinco testes de carga constante até a exaustão a 70, 80, 90, 95 e 100% da diferença entre LV1 e o VO2pico foram realizados. A potência crítica (PC) foi obtida por meio da linearização da função potência-duração. RESULTADOS: A relação potência-duração foi descrita pela função ajustada (r=0,98±0,02). O VO2 na PC (2,66±0,62 l/min) foi maior do que no LV1 (1,62±0,38 l/min) e LV2 (2,36±0,59 l/min, respectivamente), mas menor do que o VO2pico (3,06±0,62 l/min). A carga da PC (103,0±26,0 W) foi diferente da encontrada em LV1 (69,5±21 W) e VO2pico (151,0±26,3 W), mas não da em LV2 (103,5±30,8 W). A associação entre a PC e esses indicadores de aptidão aeróbia foram todas significantes quando expressas em VO2 (0,73 a 0,78; p<0,05) e em W (0,83 a 0,91; p<0,05). A determinação da PC em exercícios dinâmicos de MMSS é simples e de baixo custo, podendo ser utilizada pelo fisioterapeuta na prescrição e avaliação do treinamento de MMSS. CONCLUSÃO: A relação potência-duração em exercícios com os MMSS pode ser descrita por uma função hiperbólica e está associada a indicadores fisiológicos da aptidão aeróbia.
Descrição
Citação
Brazilian Journal of Physical Therapy. Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia , v. 14, n. 4, p. 316-321, 2010.
Coleções