Show simple item record

dc.contributor.advisorAmaral, Fábio Sarubbi Raposo do [UNIFESP]
dc.contributor.authorSilva, Guilherme Cavicchioli da [UNIFESP]
dc.coverage.spatialDiademapt_BR
dc.date.accessioned2020-08-13T15:17:15Z
dc.date.available2020-08-13T15:17:15Z
dc.date.issued2019
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/57435
dc.description.abstractSinais acústicos das aves podem ter funções essenciais para a sobrevivência e reprodução. As diferenças entre sinais vocais de espécies próximas têm potencial de serem barreiras prézigóticas e atuarem no estabelecimento e na manutenção do isolamento reprodutivo. Compreender quais processos podem conduzir à divergência em sinais acústicos é, portanto, fundamental para explicar a especiação em aves. Sabe-se que forças microevolutivas como a deriva genética e a seleção natural e sexual podem mediar as divergências em sinais acústicos. Fatores ecológicos ecológicas podem atuar na seleção diretamente, otimizando a transmissão do canto (segundo a hipótese de condução sensorial), ou indiretamente, quando adaptações morfológicas ocorrem em uma característica fenotípica relacionada a produção ou alteração da vocalização (hipótese da adaptação morfológica). Esses processos são relativamente bem estudados em aves Passeriformes, porém, pouco se sabe sobre a evolução do sinal acústico de aves de outros grupos. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar o papel de processos ecológicos diretos e indiretos na variação vocal encontrada dentro do grupo de gaviões buteoninos (Accipitridae) do novo mundo, um grupo de aves nãoPasseriformes ecologicamente diverso. Com base em gravações de vocalizações de 32 espécies de gaviões buteoninos testamos as hipóteses de condução sensorial e adaptação morfológica, que preveem que os sinais acústicos se diversificam em diferentes nichos e habitats como (i) um subproduto de uma morfologia ótima ou (ii) uma transmissão do som mais eficiente, respectivamente. Mostramos que há uma forte relação entre o tamanho corporal e a evolução de frequências máximas dentro dos buteoninos, o que sugere uma evolução correlacionada, tal como discutido nas teorias tradicionais. Já a evolução de outras características espectrais e temporais, como largura de banda e tamanho da nota, respectivamente, parece não estar relacionada a diferenças de habitats ou tamanho corporal. Portanto, fatores ecológicos podem afetar indiretamente os atributos acústicos dos gaviões buteoninos.pt_BR
dc.description.abstractAcoustic signals in birds may have functions essential for survival and reproduction. Differences in vocal signals among species may work as pre-zygotic barriers and act in the establishment and maintenance of reproductive isolation. Therefore, understanding which processes leads to divergence in acoustic signals is fundamental to explain speciation in birds. It is known that microevolutionary forces such as genetic drift, sexual and natural selection can mediate divergences in acoustic signals. Natural selection can act directly, optimizing signal transmission (according to the sensory drive hypothesis), or indirectly, when morphological adaptations occur in a phenotypic characteristic related to vocal production or alteration (morphological adaptation hypothesis). These processes are relatively well studied among songbirds, but similar studies in non-passerines are lacking. Therefore, the aim of this study was to evaluate the role of direct and indirect ecological processes in the vocal variation found within the buteonine hawks (Accipitridae). Using vocalizations recordings of 32 species of buteonine hawks we tested the sensory drive and morphological adaptation hypotheses, which predict that the acoustic signals diversify into different niches and habitats as (i) a byproduct of optimal morphology or (ii) a more efficient sound transmission, respectively. We show that there is a strong relationship between body size and the evolution of maximum frequencies within buteonine hawks, which corroborates the idea of correlated evolution between size and vocal traits. The evolution of other spectral and temporal characteristics, such as bandwidth and note size, respectively, does not appear to be related to differences in habitats or body size. Therefore, ecological factors may indirectly affect the acoustic attributes of buteonine hawks.pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.format.extent43 f.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.rightsAcesso restritopt_BR
dc.subjectCondução sensorialpt_BR
dc.subjectAdaptação morfológicapt_BR
dc.subjectSinais acústicospt_BR
dc.subjectBioacústicapt_BR
dc.subjectMétodos comparativos filogenéticospt_BR
dc.subjectSensory drivept_BR
dc.subjectMorphologic adaptationpt_BR
dc.subjectAcoustic signalspt_BR
dc.subjectBioacousticspt_BR
dc.subjectPhylogenetic comparative methodspt_BR
dc.titleProcessos ecológicos na evolução dos cantos dos gaviões buteoninos (Aves; Accipitridae)pt_BR
dc.typeDissertação de mestradopt_BR
unifesp.campusEscola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH)pt_BR
unifesp.graduateProgramEcologia e Evoluçãopt_BR
unifesp.knowledgeAreaBiodiversidadept_BR
unifesp.researchAreaSistemática, Biogeografia e Diversidade Genéticapt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/6114729436460533pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/6554940862323689pt_BR
dc.contributor.advisor-coCandia-Gallardo, Carlos Ernesto
dc.contributor.advisor-coLatteshttp://lattes.cnpq.br/1825322839093632pt_BR
unifesp.departamentoNão se aplicapt_BR
unifesp.assessoresproreitoriasNão se aplicapt_BR
unifesp.graduacaoNão se aplicapt_BR
unifesp.especializacaoNão se aplicapt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record