Cobertura de Planos de Saúde na população brasileira, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, 2013

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2017
Autores
Malta, Deborah Carvalho
Stopa, Sheila Rizzato
Pereira, Cimar Azeredo
Szwarcwald, Celia Landmann
Oliveira, Martha
Chioro, Arthur [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This study aims to present the percentages of the Brazilian population holding health insurance plans, itemized by social-demographic characteristics, based on the data of the National Health Survey carried out in 2013, and to compare this information with the administrative data of the National Supplementary Health Agency for the same year. Data from the National Health Survey, and from the Beneficiaries Information System of the National Health Agency for the year 2013, were used. The percentage of people having a health plan was described according to stratification for: all of Brazil, urban/rural, Brazilian official Regions, Brazilian States and state capitals, gender, age group, level of schooling, position in the workforce, ethnic classification, and self-assessed state of health. Results include the following: The percentage of people saying they had some health plan in Brazil was 27.9% (CI 95%: 27.1-28.8). A significant difference was found relating to level of schooling - the percentage being highest for those who stated they had complete secondary education (68.8% CI 95%: 67.2-70.4) and for those who said they were currently in work (32.5% CI 95%: 31.5-33.5). The increase in health plan coverage in the Brazilian population reflects the improvement of the suply of employment and the growth in the country's economy.
O objetivo do estudo é descrever as coberturas de planos de saúde no Brasil, conforme características sociodemográficas, a partir dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2013, e comparar com dados administrativos da Agencia Nacional de Saúde Suplementar para este mesmo ano. Foram utilizados dados da Pesquisa Nacional de Saúde e do Sistema de Informações de Beneficiários da Agência Nacional de Saúde para o ano de 2013. Foi descrita a cobertura dos planos de saúde segundo estratificação para Brasil, urbano/rural, Grandes Regiões, Unidades da Federação e Capitais, sexo, faixa etária, nível de instrução, posição na força de trabalho, cor/raça e estado de saúde. Como resultado, a proporção de pessoas que referiu ter algum plano de saúde no Brasil foi de 27,9% (IC95%: 27,1-28,8). Foi observada diferença significativa com relação a nível de instrução, sendo maior para os que referiram ter educação superior completa (68,8% IC95%: 67,2-70,4) e para aqueles que referiram ter ocupação (32,5% IC95%: 31,5-33,5). O aumento da cobertura de planos de saúde na população brasileira reflete a melhora da oferta de empregos e do crescimento da economia do país na época.
Descrição
Citação
Ciencia & Saude Coletiva. Rio De Janeiro, v. 22, n. 1, p. 179-190, 2017.
Coleções