Show simple item record

dc.contributor.advisorRosário, Nilton Manuel Évora do [UNIFESP]
dc.contributor.authorAraujo, Julia Manfredini de [UNIFESP]
dc.coverage.spatialDiademapt_BR
dc.date.accessioned2020-07-21T17:03:03Z
dc.date.available2020-07-21T17:03:03Z
dc.date.issued2019
dc.identifier.urihttps://repositorio.unifesp.br/handle/11600/55936
dc.description.abstractA poluição atmosférica gerada pelas atividades antrópicas, além da influência no clima, tem efeitos diretos importantes na saúde pública por meio da degradação da qualidade do ar. O Material Particulado (MP) é reconhecidamente o poluente com maior impacto na saúde humana. No estado de São Paulo, foco do presente estudo, as principais fontes de poluição atmosférica são as emissões veiculares, as industriais e a queima de biomassa. O transporte de poluição vindo de áreas remotas é outra fonte importante de MP. Apesar de apresentar a maior cobertura espacial nacional em termos de monitoramento da qualidade do ar, São Paulo ainda possui a maioria dos seus municípios sem qualquer monitoramento. Sendo assim, alternativas de monitoramento que mitiguem a limitada cobertura do monitoramento convencional são necessárias. A aplicação de satélites no monitoramento da qualidade do ar traz a possibilidade de atender uma ampla cobertura geográfica. Entretanto, por ser um método novo e indireto de avaliar a qualidade do ar, avaliações e adequações regionais dos seus produtos são necessárias. Nesse contexto, o presente estudo utiliza 11 anos de dados (2007 a 2017) da profundidade óptica do aerossol (AOD), um indicador da quantidade de MP na atmosfera, derivada das medidas de sensores MODIS a bordo dos satélites Terra e Aqua, com o objetivo de analisar a evolução temporal e espacial da poluição atmosférica associada ao MP no estado de São Paulo na última década. Os resultados revelaram que os anos mais poluídos estão relacionados principalmente com maior transporte de fumaça da região da Amazônia para São Paulo. Quando a influência desse transporte é removida das medidas, as regiões mais poluídas no estado compreendem as áreas metropolitanas de São Paulo, Campinas e Baixada Santista e as porções central e norte estado dominadas pelas plantações de cana-de-açúcar. No caso das áreas de queimadas no interior do estado, não se verificou tendência sistemática de redução nos níveis de AOD nos 11 anos. Pelo contrário, nas áreas a oeste e noroeste do estado, onde ocorreu expansão do cultivo de cana nos últimos anos, observou-se tendência significativa de aumento da poluição.pt_BR
dc.description.abstractAir pollution generated by anthropic activities, in addition to the influence on climate, has important direct effects on public health through the degradation of air quality. Particulate matter (PM) is recognized as the pollutant with the greatest impact on human health. In the state of São Paulo, the focus of the present study, the main sources of air pollution are vehicular emissions, industrial emissions and biomass burning. Transported plume of air pollution from remote areas is another important source of PM. Despite having the largest national space coverage in terms of air quality monitoring, São Paulo still has most of its municipalities without any monitoring. Therefore, monitoring alternatives that mitigate the limited coverage of conventional monitoring are necessary. The application of satellites in the monitoring of air quality brings the possibility of serving a wide geographic coverage. However, as it is a new and indirect method of assessing air quality, regional assessments and adjustments of its products are required. In this context, the present study uses 11 years of data (2007 to 2017) of Aerosol Optical Depth (AOD), which is an indicator of the amount of PM in the atmosphere derived from the measurements of MODIS sensors on the Terra and Aqua satellites, with the objective of analyzing the temporal and spatial evolution of the air pollution associated to the MP in the state of São Paulo in the last decade. The results showed that the most polluted years are mainly related to the greater transport of smoke from the Amazon region to São Paulo. When the influence of this transport is removed from the measures, the most polluted regions in the state comprehend the metropolitan areas of São Paulo, Campinas and Baixada Santista and the central and northern portions of the state that are dominated by sugarcane plantations. In the case of sugar cane burning areas in the interior of the state, there was no systematic trend of reduction in AOD levels in the 11 years. However, in the areas to the west and northwest of the state, where there has been expansion of sugarcane cultivation in recent years, there has been a significant trend towards increased pollution.pt_BR
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamentopt_BR
dc.format.extent124 p.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulopt_BR
dc.rightsAcesso abertopt_BR
dc.subjectPoluição atmosféricapt_BR
dc.subjectMaterial particuladopt_BR
dc.subjectSão Paulopt_BR
dc.subjectSensoriamento remotopt_BR
dc.subjectSatélitept_BR
dc.subjectAir pollutionen
dc.subjectParticulate matteren
dc.subjectSão Pauloen
dc.subjectRemote sensingen
dc.subjectSatelliteen
dc.titleEstudo da poluição atmosférica no estado de São Paulo associada ao material particulado a partir de satélitept_BR
dc.typeDissertação de mestradopt_BR
unifesp.campusInstituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF)pt_BR
unifesp.graduateProgramAnálise Ambiental Integradapt_BR
unifesp.knowledgeAreaOutrapt_BR
unifesp.researchAreaAvaliação, Prognóstico e Diagnóstico Ambientalpt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9152342245949689pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9719233997872020pt_BR
unifesp.departamentoNão se aplicapt_BR
unifesp.assessoresproreitoriasNão se aplicapt_BR
unifesp.graduacaoNão se aplicapt_BR
unifesp.especializacaoNão se aplicapt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record