Localização do ponto de entrada tibial

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2010-01-01
Autores
Labronici, Pedro José [UNIFESP]
Moreira Junior, Ildeu Leite
Lyra, Fábio Soares
Franco, José Sergio
Hoffmann, Rolix
Lourenço, Paulo Roberto Barbosa De Toledo
Kojima, Kodi
Hungria Neto, José Soares
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJETIVE: To assess, through a questionnaire, the intramedullary nail entry point in the proximal aspect of the tibia. Me-thods: 230 attendees who treat tibial fractures were interviewed. The questionnaire was created with three sections that could be answered with Yes or No answers and a fourth section that had two figures representing anteroposterior (AP) and lateral view x-rays that could be answered with a format A, B or C. RESULTS: The most frequent reason was ease of access (67.8%), followed by the better nail insertion access (60.9%) and the third one was to prevent knee pain (27.4%). Reasons for choosing access so as to prevent knee pain and prevent tendinitis had a significant relationship with points A and C of the schematic figure in the AP x-ray, especially C (medial tibial crest). No significant difference was observed between types of access to the patellar ligament in the schematic figure of the AP and lateral x-ray among age groups. CONCLUSION: The greater the age, the larger the proportion choosing the question avoid valgus deformity. Reasons from a medical (practical) perspective were related to the type of access in the transpatellar ligament, while reasons from a patient (functional) perspective were related to medial parapatellar access. Transpatellar access was chosen by most participants (66.5%).
OBJETIVO: Verificar, através de um questionário, o ponto de entrada da haste intramedular na região proximal da tíbia. Métodos: 230 participantes que tratam fraturas da tíbia foram entrevistados. O questionário foi formulado com três segmentos que poderiam ser respondidos com um formato sim ou não e um quarto, com duas figuras que representavam uma radiografia em anteroposterior (AP) e lateral que poderiam ser respondidas com um formato A, B ou C. RESULTADOS: A razão mais frequente foi a facilidade de acesso (67,8%), seguida do melhor acesso para inserção da haste (60,9%) e em terceiro prevenir a dor no joelho (27,4%). Existiu relação significativa entre as razões de escolha do acesso como prevenir dor no joelho e evitar tendinites com os pontos A e C da figura esquemática de radiografia em AP, principalmente o ponto C (crista tibial medial). Observou-se que não existiu diferença significativa nos tipos de acesso em relação ao ligamento patelar, nas figuras esquemáticas de radiografia em AP e perfil entre as faixas etárias. CONCLUSÃO: Observou-se que quanto maior a faixa etária maior a proporção de escolher a pergunta evitar deformidade em valgo. As razões de aspecto médico (prático) foram relacionadas com o tipo de acesso no ligamento transpatelar, enquanto que as razões de aspecto paciente (funcional) foram relacionadas com o acesso parapatelar medial. O acesso transpatelar foi escolhido pela maioria dos participantes (66,5%).
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 45, n. 4, p. 375-381, 2010.