Avaliação da lidocaína tópica como pré-medicação para a endoscopia digestiva alta em crianças

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2009-12-01
Autores
Machado, Rodrigo Strehl [UNIFESP]
Viriato, Airton
Miranda, Áurea Cristina Portorreal [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: This study aims to evaluate the efficacy of topical lidocaine as an adjuvant drug to sedatives in children and adolescents undergoing digestive endoscopies. METHODS: 80 patients (49 females and 31 males, 12±3 years old) were randomly allocated into placebo (n=40) or lidocaine group (n=40). One patient was excluded from each group after allocation. Two puffs of either 10% lidocaine or placebo (tannic acid 0.5%) were sprayed into the oropharynx before the infusion of propofol. Patients were monitored during the procedure and answered a questionnaire after the procedure to evaluate sore throat and the medicine used as pre-medication. The primary outcome measure was propofol dose. Time spent in the procedure room, in the procedure and the incidence of complications were secondary outcome measures. RESULTS: Demographic data (age, sex and endoscopy indication) were evenly distributed in each group. The dose of propofol was not different between patients and controls (placebo group 3.1±1.1 and lidocaine group 2.9±1.3mg/kg; p=0.69), even considering the total dose (p=0.33). The time spent in the procedure room was longer for the placebo group than for the lidocaine group (23±7 versus 20±5 minutes; 95%CI of the difference: 0.47-5.89 minutes, p=0.02). There was no difference between groups regarding procedure duration, complications incidence and tolerability. CONCLUSIONS: Topic anesthetic medication reduces the time spent in the procedure room without increasing the incidence of side effects (NCT00521703).
OBJETIVO: Avaliar a eficácia da lidocaína spray tópica como droga adjuvante na sedação e analgesia de crianças e adolescentes para endoscopia digestiva. MÉTODOS: Foram incluídos 80 pacientes (49 femininos e 31 masculinos, idade média 12±3 anos), 40 no grupo placebo e 40 no grupo lidocaína. Os pacientes foram alocados aleatoriamente e um paciente de cada grupo foi excluído. Lidocaína a 10% ou placebo (ácido tânico 0,5%) aerossol (dois jatos) foram aplicados na orofaringe antes da infusão de propofol. Os pacientes foram monitorizados durante o procedimento e após, sendo respondido questionário para avaliar odinofagia e a pré-medicação. O desfecho primário foi a dose de propofol empregada, enquanto os desfechos secundários foram incidência de complicações, tempo de sala e duração do procedimento. RESULTADOS: Não houve diferenças entre os grupos quanto à idade, sexo e indicação da endoscopia. A dose de propofol empregada não foi diferente nos dois grupos (grupo placebo 3,1±1,1 e grupo lidocaína 2,9±1,3mg/kg; p=0,69), mesmo quando considerada a dose bruta (p=0,33). No entanto, o tempo de sala médio foi maior no grupo placebo do que no lidocaína (23±7 versus 20±5 minutos; IC95% da diferença: 0,47-5,89 minutos, p=0,02). Não houve diferenças entre os grupos quanto à duração do procedimento, incidência de complicações e aceitação pelo paciente. CONCLUSÕES: O emprego de medicação tópica anestésica em endoscopia reduz o tempo de sala sem aumentar a incidência de efeitos adversos (NCT00521703).
Descrição
Citação
Revista Paulista de Pediatria. Sociedade de Pediatria de São Paulo, v. 27, n. 4, p. 424-429, 2009.