Prevalência de halitose em adolescentes e sua importância para a qualidade de vida

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2019
Autores
Teixeira, Juliana Cunha [UNIFESP]
Orientadores
Vitalle, Maria Sylvia de Souza [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objective: To verify the prevalence of halitosis, quality of life, economic level, VPI (Visible Plaque Index) and DMFT (Dental Caries Index) of adolescents in the Parelheiros district of São Paulo. Methods: This is a quantitative, observational, cross-sectional study composed of a randomized sample conducted in public schools in Parelheiros district. The sample consisted of 238 adolescents aged 15-19 years, high school students from state public schools. The evaluation was performed through a questionnaire with questions about health, OHIP-14 quality of life questionnaire, through a simple clinical examination and also with the BreathAlertTM halitosis sulfide monitor. Values ≥2 were considered positive for halitosis. The study was approved by UNIFESP CEP under Opinion No. 3,098,407. Results: The results showed a prevalence of 3.4% for halitosis in adolescents and a tendency to impact on their quality of life. No relationship was found between halitosis, economic level, VPI and DMFT in the population evaluated. Conclusion: The prevalence of halitosis found among adolescents was low and there was no relationship between halitosis, economic level, VPI and DMFT. Nevertheless, halitosis tends to impact social life.
Objetivo: Verificar a prevalência de halitose, qualidade de vida, nível econômico, IPV (Índice de Placa Visível) e CPO-D (Índice de cárie dental) de adolescentes no distrito de Parelheiros no município de São Paulo. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, observacional, transversal composto por amostra randomizada realizado em escolas públicas no ensino médio do distrito de Parelheiros. A amostra foi composta por 238 adolescentes com idade entre 15 e 19 anos, estudantes do ensino médio de escolas públicas estaduais. A avaliação foi realizada por meio de questionário com perguntas sobre saúde, questionário de qualidade de vida OHIP- 14, por meio de exame clínico simples e também com o aparelho monitor de sulfetos para halitose BreathAlertTM. Foram considerados valores ≥2 como positivos para halitose. O estudo foi aprovado pelo CEP da UNIFESP sob parecer nº: 3.098.407. Resultados: Os resultados mostraram prevalência de 3,4% para halitose para adolescentes e tendência para impacto na qualidade de vida destes. Não foi encontrada relação entre halitose, nível econômico, IPV e CPO-D na população avaliada. Conclusão: A prevalência de halitose encontrada entre os adolescentes foi baixa e não se verificou relação entre halitose, nível econômico, IPV e CPO-D. Apesar disso, a halitose tende a impactar na vida social.
Descrição
Citação