Percepção da qualidade de vida de idosos praticantes e não praticantes de tênis de campo

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2017-12-21
Autores
Rovaris, Janaina de Oliveira Gomes [UNIFESP]
Orientadores
Guerra, Ricardo Luís Fernandes [UNIFESP]
Tipo
Trabalho de conclusão de curso de graduação
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: o envelhecimento é considerado um processo progressivo e dinâmico pelo qual todos nós seremos submetidos. Dentre as varias alterações possíveis com o envelhecimento, pode-se considerar as de percepção da qualidade vida que pode ser influenciada pelas condições físicas e capacidades funcionais. Neste contexto a prática de exercícios ou de esportes torna-se importante, dentre estes, um dos mais praticados por idosos é o Tênis de Campo o qual pode contribuir para a melhoria da coordenação geral, força, além de auxiliar no equilíbrio dinâmico. Objetivo: verificar se idosos praticantes de Tênis de Campo apresentam diferenças na composição corporal, capacidades físicas e percepção da qualidade de vida em relação a idosos não praticantes. Método: foram avaliados23 voluntários com mais de70 anos de idade, distribuídos em 2 grupos, sendo:Grupo praticante de Tênis de Campo (GPT=14) e Grupo não praticante de Tênis de Campo (GNPT=09). Após a explicação sobre as condições éticas e consentimento dos voluntários, foi aplicada uma anamnese seguida de avaliações antropométricas, de composição corporal e capacidades físicas (equilíbrio/agilidade, flexibilidade e força de preensão palmar). Também foi utilizado Questionário Internacional de Atividade Física IPAQ– versão curta - e o questionário de percepção de Qualidade de Vida (SF-36). Os dados foram tratados de acordo com estatística descritiva e para verificação da normalidade foi utilizado o teste de Shapiro-Wilks´s. Para comparar diferenças entre os grupos foi utilizado o teste t Student para as amostras independentes. O nível de significância estatísticafoi de p≤0,05 e, posteriormente, foi calculado do Tamanho do Efeito (software PRISM). Resultados: não houve diferenças entre os grupos em relação às variáveis antropométricas e os domínios do SF-36 (exceto domínio de Capacidade Funcional (CF)), TMB e flexibilidade. Por outro lado, houve diferença entre os grupos para as variáveis de composição corporal, Nível de atividade física, equilíbrio dinâmico e FPM. Apesar de apenas o domínio CF ter apresentado diferença entre os grupos observou-se uma tendência a melhor condição do GPT em relação ao GNPT para os domínios LAF, DOR e EGS da qualidade de vida. Conclusão: idosos acima de 70 anos de idade, praticantes de Tênis de Campo, apresentam melhor composição corporal, equilíbrio dinâmico/agilidade, maior nível de atividade física e força de preensão palmar em relação a idosos ativos não praticantes.
Introduction: aging is considered a progressive and dynamic process by which all of us will be submitted. Among the several possible changes with aging, one can consider those of perception of quality of life that can be influenced by physical conditions and functional capacities. In this context the practice of exercises or sports becomes important, among these one of the most practiced by the elderly is the Field Tennis which can contribute to the improvement of the general coordination, strength and assist in dynamic balance. Aim: to verify if elderly practicing Field Tennis present differences in body composition, physical abilities and perception of quality of life in relation to non-practicing elderly. Methods: twenty-three volunteers over 70 years of age, divided into two groups, were: Group of practicing Field Tennis (GPT = 14) and Group not practicing Field Tennis (GNPT = 09). After explaining the ethical conditions and consent of the volunteers, an anamnesis was applied followed by anthropometric assessments, body composition and physical abilities (balance/agility, flexibility and grip strength). The International Physical Activity Questionnaire IPAQ - short version - and the Quality of Life perception questionnaire (SF36) were also used. The data were treated according to descriptive statistics and for verification of normality the Shapiro-Wilks's test was used. To compare differences between groups, the Student t test was used for the independent samples. The level of statistical significance was of p≤0.05 and was later calculated from the Effect Size (PRISM software). Results: there were no differences between the groups in relation to the anthropometric variables and the SF-36 domains (except CF domain), BMR and flexibility. On the other hand, there was difference between the groups for the variables of body composition, physical activity level, dynamic balance and FPM. Although only the CF domain presented a difference between the groups, a trend towards a better GPT condition compared to NPT was observed for the LAF, DOR and EGS domains of quality of life. Conclusion: elderly individuals above 70 years of age, practitioners of Field Tennis, present better body composition, higher level of physical activity, palmar grip strength and dynamic balance/agility in relation to active non - practicing elderly
Descrição
Citação
ROVARIS, Janaina de Oliveira Gomes. Percepção da qualidade de vida de idosos praticantes e não praticantes de tênis de campo. 2017. 43 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2017.