Estilos de aprendizagem de técnicos de enfermagem

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2018-03-29
Autores
Santos, Etelvina Vitor dos [UNIFESP]
Orientadores
Cunha, Isabel Cristina Kowal Olm [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: The need for increasingly differentiated teaching methods presupposes investing in the Learning Styles of the students, so that the teacher can better direct his efforts so that they learn more and in a protagonist way. Objectives: The general objective was to elaborate an instrument to identify the Learning Styles (AE) of Nursing Technicians (TE) and the specific ones were: adapt, validate and apply this result with these professionals. Method: A methodological and exploratory study was developed with a quantitative approach, carried out in five stages: Step 1Adapting the items using the Learning Styles Index (ILS) by Felder and Soloman. The adjusted items, in total 64, were validated by judges, using the Delphi technique, which allows to obtain group consensus regarding a certain phenomenon. Step 2 Internal consistency analysis, in which the 64 items were submitted to Cronbach's alpha statistical indicator, reducing them to 40. Step 3 Final elaboration of the Inventory of Learning StylesNursing (IEAEnf), with eight styles of learning in four dimensions, each style with five items, and in them dichotomous answers of yes and no. The Answer Sheet was also prepared. Step 4 Application of the instrument as a pretest in 17 students of a TE course and achievement of the final hits. Step 5 Application of the instrument in TE enrolled in the Regional Council of Nursing of São Paulo between 2007 and 2017. Results: after adaptation and validation of the instrument, it was applied in 192 TE. Most respondents (16385%) were female and 2635 or over 40 years old (5830.2% for both). Of the eight teaching strategies available, the ones that made learning easier were: doing practical activities in the laboratory (score eight: 11057%) and having challenges to discover possibilities (score seven: 7740%). Less facilitated were: reading and following stepbystep explanations (score two: 6031%) and relating the subject matter to practical use (score one: 4624%). Sensory perception (16385%), Active Processing (15882.5%) and Sequential Comprehension (16787%) were detected as predominant in ET. Regarding the Retention Dimension, it was noticed that there was a tendency for both Visual (14877%) and Verbal (13671%), with a slight predominance of Visual. Conclusion: The Inventory of LearningNursing Styles was created and validated, with application in TE, characterizing its different styles. This research is situated within the contemporary dynamics of the most modern and relevant questions about the learning processes. The proposed conclusions and suggestions may have a practical application.
Introdução: A necessidade de metodologias de ensino cada vez mais diferenciadas pressupõe investir nos Estilos de Aprendizagem dos estudantes, a fim de que o professor possa melhor dirigir seus esforços para que estes aprendam mais e de forma protagonista. Objetivos: O geral foi elaborar um instrumento para identificação dos Estilos de Aprendizagem (EA) de Técnicos de Enfermagem (TE) e os específicos foram: adaptar, validar e aplicar este resultado com estes profissionais. Método: Desenvolveuse um estudo metodológico e exploratório com abordagem quantitativa, realizado em cinco etapas: Etapa 1Adaptação dos itens, utilizando o Índice de Estilos de Aprendizagem (ILS) de Felder e Soloman. Os itens adaptados, no total 64, foram validados por juízes, por meio da técnica Delphi, que permite obter consenso de grupo a respeito de um determinado fenômeno. Etapa 2 Análise de consistência interna, na qual os 64 itens foram submetidos ao indicador estatístico de Alfa de Cronbach, reduzindoos para 40. Etapa 3 Elaboração final do instrumento Inventário de Estilos de AprendizagemEnfermagem (IEAEnf), com oito estilos de aprendizagem em quatro dimensões, sendo cada estilo com cinco itens, e neles respostas dicotômicas de sim e não. Elaborouse ainda a Folha de Respostas. Etapa 4 Aplicação do instrumento como préteste em 17 estudantes de um curso de TE e realização dos acertos finais. Etapa 5 Aplicação do instrumento em TE inscritos no Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo entre 2007 e 2017. Resultados: após adaptação e validação do instrumento, ele foi aplicado em 192 TE. A maior parte dos respondentes (16385%) eram do sexo feminino e na faixa etária de 26 a 35 ou com mais de 40 anos (5830,2% para ambos). Das oito estratégias de ensino disponibilizadas, as que mais facilitaram a aprendizagem foram: fazer atividades práticas em laboratório (escore oito: 11057%) e ter desafios para descobrir possibilidades (escore sete: 7740%). As que menos facilitaram foram: ler e seguir explicações passo a passo (escore dois: 6031%) e relacionar o assunto de aula com a utilização prática (escore um: 4624%). Como EA predominantes nos TE, detectouse: Percepção Sensorial (16385%), Processamento Ativo (15882,5%) e Compreensão Sequencial (16787%). Quanto à Dimensão Retenção, percebeuse que houve tendência tanto para o Visual (14877%) quanto para o Verbal (13671%), com leve predominância do Visual. Conclusão: Foi criado e validado o Inventário de Estilos de AprendizagemEnfermagem, com aplicação em TE, caracterizando seus diferentes estilos. Esta pesquisa está situada dentro da dinâmica contemporânea das questões mais modernas e relevantes sobre os processos de aprendizagem. As conclusões e sugestões propostas poderão adquirir sentido de aplicação prática.
Descrição
Citação
SANTOS, Etelvina Vitor dos. Educação técnica em enfermagem. 2018. 121 f. Tese (Doutorado) – Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2018.