Recreational use of benzydamine as a hallucinogen among street youth in Brazil

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2009-09-01
Autores
Opaleye, Emérita Sátiro [UNIFESP]
Noto, Ana Regina [UNIFESP]
Sanchez, Zila van der Meer [UNIFESP]
Moura, Yone Gonçalves de [UNIFESP]
Galduróz, José Carlos Fernandes [UNIFESP]
Carlini, Elisaldo Araujo [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To describe the recreational use of benzydamine, an anti-inflammatory drug, among street youth in Brazil. METHOD: Design: a descriptive, cross sectional survey. Setting: 93 welfare services for the street youth in 27 Brazilian capitals. Participants: 2807 street youth, 10 to 18 years old. Main outcome measures: demographic characteristics, drug use pattern (lifetime use, use in the past 30 days, frequency, and characteristics of use in the past month) and effects of benzydamine through the use of a questionnaire. RESULTS: 78 reported lifetime recreational benzydamine use (67 cases identified only in three capitals). Among the 30 respondents reporting drug use in the last month (the month preceding the survey), 66.7% (n = 20) used the drug on 4 or more days (in the month preceding the survey). The most frequently (50%) pleasure effects reported were hallucination and nonspecific sensory changes described as trips. Unwanted effects were reported by 75% of respondents, they were especially nausea and vomiting (21.4%). In the majority of the cases, drug was obtained from drugstores without a medical prescription. CONCLUSION: This study identifies the recreational use of benzydamine among street youth, mainly in the Northeast of Brazil, and also indicates the need for special controls on the dispensation of this substance.
OBJETIVO: Descrever o uso recreacional de benzidamina, um medicamento antiinflamatório, entre adolescentes em situação de rua no Brasil. MÉTODO: Desenho: descritivo, transversal. Local: 93 instituições assistenciais para crianças e adolescentes em situação de rua nas 27 capitais do Brasil. Participantes: 2.807 crianças e adolescentes em situação de rua, com idade entre 10 e 18 anos. Principais medidas de interesse: características demográficas, padrão de uso (uso na vida, uso nos últimos 30 dias, frequência e características de uso no mês anterior à pesquisa) e efeitos da benzidamina usando um questionário. RESULTADOS: 78 relataram uso recreacional na vida de benzidamina (67 casos identificados somente em três capitais). Entre os 30 entrevistados que relataram uso recente da substância (no mês que precedia a investigação), 66,7% (n = 20) tomaram o medicamento em quatro dias ou mais no mês. Os efeitos desejados mais frequentemente reportados foram alucinações e alterações sensoriais inespecíficas como viagem (50%). Efeitos indesejados foram citados por 75% dos entrevistados, principalmente náuseas e vômitos (21,4%). Na maioria dos casos, o medicamento foi obtido de drogarias sem apresentação de prescrição médica. CONCLUSÃO: Os resultados observados neste estudo identificam o uso recreacional de benzidamina entre crianças e adolescentes em situação de rua, especialmente no Nordeste do Brasil, e indicam a necessidade de controle especial sobre a dispensação desta substância.
Descrição
Citação
OPALEYE, Emérita Sátiro et al . Recreational use of benzydamine as a hallucinogen among street youth in Brazil. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo , v. 31, n. 3, p. 208-213, set. 2009
Coleções