Correlação Entre Índices De Atividade Inflamatória Com Níveis Séricos De Vitamina D Nas Doenças Inflamatórias Intestinais

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2017-07-31
Autores
Viudes, Drielly Rodrigues [UNIFESP]
Orientadores
Miszputen, Sender Jankiel [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Both Crohn's disease (CD) and ulcerative colitis (UC) are part of the group of inflammatory bowel diseases (IBD) which are characterized by chronic intestinal inflammation triggered by a disordered immune response. Vitamin D is a lipid-soluble compound synthesized in the skin from sun exposure; current speculation revolves around its involvement in the regulation, development, and functionality of the immune system. Objective: To verify the relationship between some systemic markers and inflammation sites, in inflammatory bowel diseases, and serum vitamin D levels. Patients and methods: This cross-sectional study included adult patients of both genders who received treatment at the Outpatient Intestinal Clinic of the Escola Paulista de Medicina at the Universidade Federal of São Paulo (UNIFESP). The Truelove & Witts severity index and the Crohn's Disease Activity Index (CDAI) were used to measure inflammation in patients with UC and CD, respectively. Serum C-reactive protein (CRP), erythrocyte sedimentation rate (ESR), and vitamin D levels were measured by the UNIFESP Central Laboratory. Participants were instructed on stool collection to manufacturer's guidelines (Bühlmann) in order to measure fecal calprotectin. Participants were asked about their usual weight, and current weight and height were measured; this data was used to obtain current and habitual body mass index (BMI). The variables were grouped into a database and the results were considered significant when values of p<0.05 were obtained. Results: A sample of 111 patients was obtained; 62 (55.9%) had CD, and 70 (63.1%) were female, with ages ranging from 18 to 75 years. According to the disease-specific indexes, most of the individuals were considered as having no specific disease activity, 28 (57.1%) for UC and 59 (95.2%) for CD. We found little variation between current and usual weight, and 57 (51.4%) patients were considered eutrophic according to their current BMI. The mean serum vitamin D level in the total sample was 21.8±11 ng/mL, and only 24 (21.6%) of participants demonstrated sufficient levels of this vitamin. Vitamin D levels were higher in the UC group than the CD group (p=0.02). Seasonality affected vitamin D levels, which were higher in the autumn (27.2±13.2 ng/mL, p=0.005). There was no significant correlation between BMI (p=0.224) or CDAI (p=0.627) and vitamin D levels.On the other hand, there was a significant correlation between vitamin D and the variables ESR (p=0.05), CRP (p< 0.001), and Truelove & Witts index (p=0.02). There was also a statistical trend between the logarithmic conversion of fecal calprotectin (p=0.095) and vitamin D. Conclusion: Patients with sufficient levels of vitamin D had lower CRP and ESR values in both IBD. We found lower scores on the Truelove & Witts index and lower fecal calprotectin values in both IBD when vitamin D levels were close to normal. We did not detect a significant correlation between BMI or CDAI index and serum vitamin D levels. Key words: biomarkers, ulcerative colitis, crohn’s disease, inflammation, vitamin D.
Introdução: Tanto a Doença de Crohn (DC) e a Retocolite Ulcerativa (RCU) compõem o grupo das Doenças Inflamatórias Intestinais (DIIs), caracterizadas por inflamação crônica intestinal desencadeada por uma reação imunológica desordenada. A vitamina D (VD) é um composto lipossolúvel, sintetizado na pele a partir da exposição solar, com especulações atuais acerca de seu envolvimento na regulação, desenvolvimento e funcionalidade do sistema imune. Objetivo: verificar a relação entre alguns marcadores sistêmicos e locais da inflamação, nas doenças inflamatórias intestinais, com níveis séricos de VD. Casuística e métodos: estudo transversal, composto por doentes adultos, de ambos os gêneros, atendidos no Ambulatório de Intestino da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). A atividade inflamatória da RCU e da DC foram avaliadas pelos índices Truelove & Witts e Crohn’s disease Activity Index (CDAI), respectivamente. Os valores séricos de proteína C reativa (PCR), velocidade de hemossedimentação (VHS), e VD foram determinados no Laboratório Central da UNIFESP. Orientou-se os participantes sobre a coleta de fezes para determinação da calprotectina fecal realizada conforme orientação do fabricante (Bühlmann®). O peso e estatura dos participantes foram aferidos, questionando-se sobre o peso habitual de cada um. Com essas informações obteve-se o Índice de Massa Corporal (IMC) atual e habitual. Agrupadas as variáveis em um banco de dados os resultados foram considerados significantes quando obtidos valores p <0,05. Resultados: Obteve-se uma casuística composta por 111 doentes, 62 (55,9%) com DC, e 70 (63,1%) do gênero feminino, com faixa etária entre 18 e 75 anos. A maior parte dos indivíduos foi considerada sem atividade de doença pelos índices específicos, sendo 28 (57,1%) na RCU e 59 (95,2%) na DC. Verificamos pouca variação entre o peso atual e o habitual, sendo que 57 (51,4%) pacientes foram considerados eutróficos pelo IMC atual. Na casuística total encontrou-se média sérica de VD de 21,8±11 ng/mL, sendo que apenas 24 (21,6%) apresentaram suficiência desta vitamina. Os valores de VD foram maiores no grupo RCU comparados ao DC (p=0,02). A sazonalidade exerceu influência sobre os parâmetros de VD, sendo maiores no outono (27,2 ±13,2 ng/mL; p=0,005). Não houve correlação significativa entre IMC (p=0,224) e CDAI (p=0,627) com VD. Em contrapartida houve correlação significativa entre as variáveis VHS (p=0,05), PCR (p= <0,001), índice de Truelove & Witts (p=0,02) com VD. Ainda notou-se uma tendência estatística entre a conversão logarítimica da calprotectina fecal (p=0,095) com VD. Conclusão: Pacientes com níveis suficientes de VD apresentaram menores valores de PCR e VHS em ambas as DIIs. Encontramos menor pontuação no índice de Truelove & Witts e menor valor de calprotectina fecal, em ambas as DIIs, quando os níveis de VD estão próximos à normalidade. Não detectamos uma correlação significativa entre IMC e o índice CDAI com níveis séricos de VD. Palavras-chave: biomarcadores, colite ulcerativa, doença de crohn, inflamação, vitamina D.
Descrição
Citação