Influência Da Técnica Cirúrgica De Reconstrução Dos Estabilizadores Estáticos Mediais Da Patela Na Pressão De Contato E Estabilidade Patelofemoral: Estudo Biomecânico

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2017-10-31
Autores
Ambra, Luiz Felipe Morlin [UNIFESP]
Orientadores
Faloppa, Flavio [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introduction: Several procedures have been described to treat chronic patellar instability. We evaluated restoration of patellar stability and changes in patellofemoral contact pressures. Objectives: To evaluate the effect of the reconstruction of the medial static restrain of the patella regarding the patellar stability and changes in patellofemoral contact pressures. Methods: Eight human cadaveric knees were evaluated in five different conditions: native, medial static patellar restrain lesion, medial patellofemoral ligament reconstruction with gracilis tendon free autograft “MPFL-G”, medial patellofemoral ligament reconstruction using quadriceps tendon transference “MPFL-QD”, medial patellotibial ligament XV II reconstruction using patellar tendon transference “MPTL”. Contact pressures were measured at 30, 60 and 90 degrees of flexion. Patellar lateral displacement was evaluated with the knee positioned at 30 degrees. The same protocol was used for all conditions. Results: No statistical difference was found for mean contact pressures among all techniques. However, while both techniques of MPFL reconstruction were able to restore the medial restraint, MPTL failed to restore patellar lateralization to the native condition (Mean lateralization of the patella [mm]: NATIVE: 9.48; lesion: 22.05; MPFL-G: 8.1; MPFL-QD: 11.32; MPTL-PT: 23.44) (p<.001). Conclusion: Both “MPFL-G” and “MPFL-QD” are effective in restoring medial patellofemoral stability without affecting patellofemoral contact pressures. Although the MPTL did not increase contact pressures, it failed to restore patellar stability at 30 degrees of flexion.
Introdução: Diversos procedimentos cirúrgicos já foram descritos para correção da instabilidade patelar crônica. Embora estudos clínicos tenham demonstrado bons resultados a curto prazo, o efeito da técnica cirúrgica sobre a biomecânica patelofemoral precisa ser melhor investigada. Objetivos: Avaliar a influência da técnica de reconstrução dos estabilizadores mediais estáticos da patela na pressão de contato patelofemoral, assim como na translação lateral da patela. Métodos: Oito joelhos de cadáveres foram avaliados em cinco condições: nativo, lesão dos restritores mediais estáticos da patela, reconstrução anatômica do ligamento patelofemoral medial usando autoenxerto do tendão do músculo grácil XV “LPFM-G", reconstrução do ligamento patelofemoral medial utilizando a transferência do tendão do músculo quadríceps “LPFM-QD” e reconstrução do ligamento patelotibial medial com transferência do ligamento patelar “LPTM”. A pressão de contato patelofemoral foi avaliada em 30, 60 e 90 graus de flexão do joelho. A translação lateral patelar foi avaliada em 30 graus de flexão em todas as condições experimentais. Resultado: Não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes entre as médias das pressões de contato patelofemoral nas cinco condições analisadas (p>0,05). Em relação à translação lateral da patela, a reconstrução do LPTM não conseguiu restaurar a estabilidade patelar (lateralização média da patela [mm]: nativo: 9,48, lesão: 22,05, LPFM-G: 8,1, LPFM-QD: 11,32, LPTM: 23,44), (p<0,001). Conclusões: As técnicas cirúrgicas “LPFM-G” e “LPFM-QD” foram efetivas para restaurar a estabilidade medial patelar sem afetar as pressões de contato patelofemoral. Em contrapartida, a reconstrução do LPTM utilizando o ligamento patelar não foi capaz de restaurar a estabilidade patelar em 30 graus de flexão, embora não tenha alterado a pressão de contato patelofemoral.
Descrição
Citação