Use of biofeedback (BFB) in the treatment of fecal incontinence after surgical correction of anorectal malformations by posterior sagital anorectoplasty (PSARP)

Nenhuma Miniatura disponível
Data
1997-06-01
Autores
Martins, Jose Luiz [UNIFESP]
Pinus, José [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To evaluate biofeedback(BFB)responses to rehabilitation techniques and physical exercises in incontinent or partially continent anorectal malformations patients after posterior sagital anorectoplasty (PSARP). DESIGN: Prospective study. SETTING: Pediatric Surgery - Department of Surgery - UNIFESP-EPM. PATIENTS:The authors report on 14 patients with anorectal malformations (4 with partial fecal incontinence after primary PSARP; 6 with fecal incontinence after primary PSARP; 3 with partial fecal incontinence after secondary PSARP; and 1 with fecal incontinence after secondary PSARP). All patients were rehabilitated via a BFB program of exercises in order to improve the function of the anal sphincteric muscular complex for a period of 1 -3 years. MAIN OUTCOME MEASURE: Clinical and manometric control. RESULTS: After BFB, of 4 partially continent patients after primary PSARP, 3 became continent; of 6 incontinent patients after primary PSARP, 4 became continent; of 3 partially continent patients after secondary PSARP, 1 became continent,1 showed no improvement and 1 became incontinent (infection + abscess + fibrosis + important anorectal stenosis). The incontinent patient after secondary PSARP showed no improvement. CONCLUSION: The authors concluded that BFB, used at the appropriate time with patient collaboration, is an important complement to the anatomical reconstruction of anorectal malformations in order to achieve good development and contractile functioning of the sphincteric muscular complex.
A anorretoplastia sagital posterior (ARPSP) representa hoje, a técnica mais usada para tratamento das anomalias anorretais em todo o mundo. Entretanto, alguns casos associados com anomalias sacrais, evoluem com continência fecal parcial ou com incontinência fecal. Podemos tratar esses casos com nova cirurgia ou com técnicas de rehabilitação tipo biofeedback, por meio de exercícios físicos, com a finalidade de melhorar a função do complexo muscular esfincteriano. São relatados 14 casos de pacientes portadores de anomalias anorretais (4 com continência fecal parcial após ARPSP primária; 6 com incontinência fecal pós ARPSP primária; 3 com continência fecal parcial após ARPSP secundária; e, 1 com incontinência fecal pós ARPSP secundária). Todos os pacientes foram submetidos a exercícios de rehabilitação com a finalidade de melhorar a função do complexo muscular esfincteriano tipo BFB, durante um período de tempo que variou de 1 a 3 anos, com acompanhamento clínico e manométrico. Após o BFB, dos 4 pacientes com continência fecal parcial após ARPSP primária, 3 ficaram continentes; dos 6 incontinentes após ARPSP primária, 4 ficaram continentes; dos 3 pacientes com continência parcial após ARPSP secundária, 1 tornou-se continente e 1 incontinente, piorando seu resultado por infecção, abscesso, fibrose e importante estenose anal. Os autores referem que o BFB usado no momento adequado, com a colaboração do paciente, é um importante complemento para a reconstrução anatômica das anomalias anorretais, para conseguir um bom desenvolvimento e uma boa função contráctil do complexo muscular esfincteriano.
Descrição
Citação
São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 115, n. 3, p. 1427-1432, 1997.
Coleções