Show simple item record

dc.contributor.advisorEscrivão, Maria Arlete Meil Schimith [UNIFESP]pt_BR
dc.contributor.authorGallo, Barbara Bueno de Moraes [UNIFESP]
dc.coverage.spatialSão Paulopt_BR
dc.date.accessioned2018-07-30T11:53:57Z
dc.date.available2018-07-30T11:53:57Z
dc.date.issued2016-05-31
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4563769pt_BR
dc.identifier.citationGALLO, Barbara Bueno de Moraes. Dieta restritiva materna e comportamento da mãe durante as refeições dos seus filhos. 2016. 106 f. Dissertação (Mestrado em Nutrição) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2016.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/49055
dc.description.abstractINTRODUÇÃO E OBJETIVO: A prevalência do uso de dieta restritiva vem aumentando, muitas mulheres realizam estas dietas cronicamente e independentemente do seu estado nutricional. A infância é uma fase importante para a formação dos hábitos e preferências alimentares, que tendem a permanecer pela vida adulta. Considerando a elevada prevalência do uso de dieta restritiva por parte das mães e a extrema importância dos seus comportamentos durante as refeições dos seus filhos, o presente estudo objetivou identificar se a restrição alimentar materna influencia o comportamento da mãe durante a alimentação do seu filho(a). MÉTODO: A amostra foi composta por 137 duplas de crianças e mães, com idade entre 2 e 7 anos. As mães responderam 4 questionários (Questionário Sócio econômico estruturado, Parent Mealtime Action Scale ­ PMAS, Restraint Scale – RS, e o Three­Factor Eating Questionnaire ­ TFEQ). Utilizouse o teste estatístico Qui­Quadrado para investigar associação entre o estado nutricional da criança e sua mãe e entre o estado nutricional materno e o comportamento alimentar materno restritivo. Realizou­se a Regressão Linear e Regressão Logística para verificar os fatores influenciadores e associados com o comportamento materno durante as refeições dos seus filhos. RESULTADOS: Mães com excesso de peso apresentaram maior comportamento alimentar restritivo segundo a RS (X2=7,91; p=0,005) e o TFEQ (X2 = 11,10; p=0,02). A restrição alimentar materna associou­se negativamente com modelo de consumo de guloseimas para a criança (B= ­0,21; p=0,02) e associou­se positivamente com o comportamento de restringir a quantidade de gordura (B=0,2; p=0,04) e guloseimas na alimentação do seu filho (B=0,19; p=0,04). Além disso, quanto maior a escolaridade materna menor a persuasão positiva para que a criança coma (B= ­0,2; p=0,02). CONCLUSÕES: Restrição é um comportamento materno que prejudica o aprendizado da criança com relação à auto regulação da ingestão calórica e molda suas preferências alimentares para os alimentos “proibidos”, favorece o desenvolvimento do excesso de peso e de transtornos alimentares posteriormente.pt_BR
dc.description.abstractINTRODUCTION: Considering the elevated prevalence of the use of restrictive diets by mothers, and the extreme importance of the mother’s behavior during meals with respect to the formation of eating habits by her children, the present study aimed to identify if a restrictive maternal diet influenced the mother’s behavior while feeding her child. METHODS: The sample consisted of 137 mother­child couples, the children being between 2 and 7 years of age. The mothers filled in 4 questionnaires (Structured socioeconomic questionnaire, Parent mealtime action scale – PMAS, Restraint scale – RS, and the Three­factor eating questionnaire – TFEQ). The chi­squared statistical test was used to investigate the association between the nutritional status of the child and his/hers mother, and between the mother’s nutritional status and restrictive maternal eating behavior. Linear regression and logistic regression were used to verify the influential factors associated with the mother’s behavior during her children´s meals. RESULTS: Overweight mothers presented greater restrictive eating behavior according to both RS (X2=7.91; p=0.005) and TFEQ (X2 = 11.10; p=0.02). Restrictive maternal eating was associated negatively with the goodies consumption model of the child (B= ­ 0.21; p=0.02), and associated positively with the behavior of restricting the amount of fat (B=0.2; p=0.04) and goodies in the feeding of her child (B=0.19; p=0.04). In addition, the higher the maternal scholastic level, the less the positive persuasion for the child to eat (B= ­0.2; p=0.02). CONCLUSIONS: Restriction is a maternal behavior that prejudices learning by the child with respect to self­regulation of calorie ingestion, and molds his/her food preferences for the ‘forbidden’ foods, which can favor the development of excess weight and food disorders and disturbances.en
dc.format.extent106 f.pt_BR
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso aberto
dc.titleDieta restritiva materna e comportamento da mãe durante as refeições dos seus filhospt_BR
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)pt_BR
dc.identifier.file2016-0797.pdf
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2013 a 2016)
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt_BR
unifesp.graduateProgramNutriçãopt_BR
unifesp.knowledgeAreaCiências da saúdept_BR
unifesp.researchAreaNutriçãopt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8418590763794243pt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2103953406579796pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record