Efeito da síndrome da apneia obstrutiva do sono de grau leve sobre a qualidade de vida, humor e atenção sustentada, estudo caso-controle

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013-09-25
Autores
Luz, Gabriela Costa Pontes [UNIFESP]
Orientadores
Bittencourt, Lia Rita Azeredo Bittencourt [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Purpose: We evaluated quality of life, mood and sustained attention in a group with mild OSAS and in a control group. Methods: In mild OSAS group were included 15 patients of both genders, body mass index (BMI) &#8804; 30 kg/m2, age between 18 and 60 years and clinical and polysomnographic mild OSAS apnea-hypopnea index (AHI) between 5 and 15/hours of sleep. In the Control group were included 15 individuals of both genders, BMI &#8804; 30 kg/m2, age between 18 and 60 years, AHI < 5, arousal index < 15 and Epworth Sleepiness Scale (ESS) &#8804; 9. Both groups performed the following procedures: clinical examination, full night polysomnography (PSG), subjective assessment of mood (Anxiety Inventory and the Beck Depression Inventory), Quality of Life Questionnaires: Functional Outcomes of Sleep Questionnaire (FOSQ), Health Organization Quality of Life (WHOQOL-Bref) and Short Form-36 Health Survey (SF-36) and Performance Vigilance Test (PVT). Statistical analysis used descriptive analysis (mean ± standard deviation) and analyzes of the groups at the different times used a General Linear Model (GLM). Results: 30 volunteers were selected to participate to this study, 15 in the control group and 15 mild OSAS group. For anthropometric measurements, we observed an increase only in neck circumference for mild OSAS group: 40.2 ± 3.17 and 35.90 ± 3.75 cm, *p=0.002). This result demonstrates that our sample is similar for weight and age. Considering quality of life (FOSQ), mild OSAS group compared to the control, lower scores were observed in the domains physical activity level (3.10 ± 0.69 and 3.50 ± 0.34, *p=0.05) and vigilance (3.10 ± 0.84 and 3.62 ± 0.37 *p=0.03), however no significant differences between groups were demonstrated to WHOQoL-Bref and SF-36 scores. The ESE, were also higher for mild OSA group (11.20 ± 6.32 and 2.54 ± 5.80, *p=0.005). In the assessment of mood (BDI and BAI), we observed no statistically significant differences between groups. In the attention test psychomotor (PVT), we observed increased “Mean RT” (302.3 ± 20.6 and 274.7 ± 18.3, p=0.034) and “LAP-SQRXFRM” in time 2 and 3 (4.4 ± 0.75 e 1.76 ± 0.72 / 4.34 ± 0.82 e 1.95 ± 0.79, p=0.041). Conclusion: Patients who had mild OSAS showed a reduced quality of life, sustained attention and increased daytime sleepiness. We did not observe changes in anxiety and depression in this population.
Objetivos: Avaliar os efeitos da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) leve nos parâmetros: humor, qualidade de vida e atenção sustentada. Métodos: Foram selecionados pacientes de ambos os gêneros, índice de massa corpórea (IMC) &#8804;30kg/m2 e idade entre 18 e 60 anos. Grupo SAOS leve: pacientes com diagnóstico clínico e polissonográfico de SAOS leve definido por índice de apneia e hipopneia (IAH) &#8805;5 e &#8804;15 eventos por hora de sono. Grupo Controle: voluntários com IAH <5 por hora de sono, índice de distúrbio respiratório &#8804; 5 por hora de sono, índice de despertares <15 por hora de sono e escala de sonolência de Epworth (ESE) &#8804;9. Ambos os grupos realizaram: exame físico, polissonografia (PSG) basal, avaliação subjetiva do humor (pelos Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck), Questionários de Qualidade de Vida (Functional Outcomes of Sleep Questionnaire–FOSQ; Health Organization Quality of Life-WHOQOL-Bref; e Short Form Health Survey-36-SF-36) e o Performance Vigilance Test (PVT). Análise estatística: dados apresentados em média ± desvio padrão, e para análise dos grupos nos diversos tempos General Linear Model (GLM). Resultados: 30 voluntários participaram do estudo, sendo 15 do grupo controle e 15 do grupo SAOS leve. Na avaliação antropométrica, observamos aumento somente da circunferência cervical no grupo SAOS leve (40.2±3.17 e 35.90±3.75 cm, p=0.002), demonstrando que os grupos foram semelhantes para o peso e a idade. Em relação à qualidade de vida (FOSQ), observamos no grupo SAOS leve comparado ao controle menor escore nos domínios nível de atividade física (3.10 ± 0.69 e 3.50 ± 0.34, p=0.05) e vigilância (3.10 ± 0.84 e 3.62 ± 0.37, p=0.03), no entanto no WHOQoL-Bref e SF-36 não observamos diferenças entre os grupos. Na ESE, houve aumento do escore no grupo SAOS leve (11.20 ± 6.32 e 5.80 ± 2.54, p=0.005). Não observamos diferenças estatisticamente significantes entre os grupos, em relação ao humor (BAI e BDI). No teste de atenção psicomotora (PVT), observamos aumento do tempo de reação “Mean RT” (302.3 ± 20.6 e 274.7 ± 18.3, p=0.034) e dos lapsos “LAP-SQRXFRM” nos tempos 2 e 3 (4.4 ± 0.75 e 1.76 ± 0.72 / 4.34 ± 0.82 e 1.95 ± 0.79, p=0.041). Conclusão: Os pacientes que apresentaram SAOS leve mostraram uma redução da qualidade de vida, atenção sustentada e aumento da sonolência diurna. Não observamos alterações em relação à ansiedade e depressão nessa população.
Descrição
Citação
LUZ, Gabriela Costa Pontes. Efeito da síndrome da apneia obstrutiva do sono de grau leve sobre a qualidade de vida, humor e atenção sustentada, estudo caso-controle. 2013. 97 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.