Show simple item record

dc.contributor.advisorNatour, Jamil Natour [UNIFESP]pt
dc.contributor.authorSilva, Diego Roger [UNIFESP]
dc.date.accessioned2018-07-30T11:53:00Z
dc.date.available2018-07-30T11:53:00Z
dc.date.issued2014-11-12
dc.identifierhttps://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1350679pt
dc.identifier.citationSILVA, Diego Roger. Avaliação da efetividade do treinamento resistido em pacientes com artrite psoriásica: um estudo controlado e randomizado. 2014. 65 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48483
dc.description.abstractA artrite psoriásica (APS) é uma artrite inflamatória crônica, definida como a associação de artropatia inflamatória e psoríase. A literatura ainda é muito escassa em relação a tratamentos não farmacológicos para os pacientes com APS, especialmente o exercício físico. Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia do treinamento de resistência na melhoria da capacidade funcional, força muscular, qualidade de vida e atividade da doença em pacientes com PSA. Métodos: Quarenta e um pacientes com idade entre 18 e 65 anos com diagnóstico de artrite psoriásica foram selecionados para este estudo., Oos pacientes foram randomizados em dois grupos: grupo de intervenção e o grupo controle. O grupo de intervenção (GI) foi submetido a exercícios de resistência duas vezes por semana, durante 12 semanas. O grupo controle manteve-se na lista de espera com a terapia medicamentosa convencional. As medidas de desfecho foram: BASFI e HAQ-S para a capacidade funcional, teste de uma repetição máxima (!RM)para a força muscular, questionário SF-36 para a qualidade de vida em geral; e BASDAI e DAS-28 para a atividade da doença. As avaliações foram feitas por um avaliador cego na linha de base (T0), seis semanas (T6) e 12 semanas (T12) após o início do estudo. Resultados: Na avaliação inicial os grupos foram homogêneos quanto às características clínicas e demográficas. A capacidade funcional medida pelo HAQ-S e a atividade da doença medida pelo BASDAI, melhoraram significantemente no GI quando comparado ao GC, na semana 12. Em relação à qualidade de vida, o IG melhorou a domínios "dor" e "estado geral de saúde" em comparação com CG. (p <0,05). Houve melhora na força muscular em quase todos os exercícios no GI, exceto no exercício para o bíceps. No GC, a melhora na força foi observada apenas nos exercícios "crucifixo" e "extensão da perna" (bilateral) (bilateral). No entanto, houve diferenças estatísticas entre os grupos apenas no exercício "extensão da perna" (lado direito) em favor da GI. Conclusão: O treinamento de resistência é eficaz em melhorar a capacidade física, a atividade da doença e a qualidade de vida de pacientes com artrite psoriásica. As melhorias clínicas não expressaram mudanças significativas na força muscular.pt
dc.format.extent65 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectexercícios resistidospt
dc.subjectartrite psoriásicapt
dc.subjectqualidade de vidapt
dc.subjectcapacidade funcionalpt
dc.titleAvaliação da efetividade do treinamento resistido em pacientes com artrite psoriásica: um estudo controlado e randomizadopt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)pt
dc.identifier.file2014-0144.pdf
dc.description.sourceDados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2013 a 2016)
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramCiências da Saúde Aplicadas à Reumatologiapt
unifesp.knowledgeAreaCiências da saúdept
unifesp.researchAreaMedicinapt


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record