Efeitos de um programa de exercícios progressivos na capacidade funcional e qualidade de vida em pacientes pós-infarto agudo do miocárdio submetidos à reabilitação cardiovascularEnsaio clínico controlado e randomizado

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2014-06-25
Autores
Peixoto, Thatiana Cristina Alves [UNIFESP]
Orientadores
Gomes, Walter Jose Gomes [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: O propósito deste estudo foi avaliar a influência de um programa de reabilitação cardíaca precoce na qualidade de vida relacionada a saúde e capacidade funcional em pacientes que sofreram infarto agudo do miocárdio recentemente. Este programa foi iniciado na fase intra-hospitalar com seguimento de maneira não supervisionada após a alta hospitalar. Métodos: Dando seguimento ao tratamento realizado na fase intra-hospitalar. Pacientes de baixo risco cardiovascular que sofreram IAM foram radomizados em dois grupos: 1) grupo controle (GC) (n=43), que recebeu orientações para continuar a realizar exercícios, e grupo intervenção (GI) (n=45), que recebeu um protocolo de exercícios não supervisionados. Inicialmente todos os pacientes receberam o mesmo programa de exercícios precoces, realizados na fase intra-hospitalar, inciando 12 horas após a reperfusão. Na alta hospitalar, todos os pacientes foram classificados quanto ao risco cardiovascular. A qualidade de vida (QV) foi avaliada por meio do questionário específico Mac New, questionário específico realizado 30 dias após a alta hospitalar. A capacidade funcional foi avaliada por meio da distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos (TC6), no dia da alta e 30 dias após o protocolo. Resultados: o Score global do questionário de qualidade de vida relacionada à saúde foi maior no GI após 30 dias do protocolo de estudo quando comparado com o GC; os domínios dos scores físico e emocional, foram significantemente maiores no GI (p<0,05). Além disso, o GI apresentou melhor distância percorrida no TC6 (p<0,0001), quando comparado ao grupo GC. Conclusão: Programa de reabilitação cardiovascular baseado em exercícios progressivos, iniciados na fase hospitalar (fase I) precocemente, com seguimento não supervisionado na fase II, melhorou a capacidade funcional e a tolerância ao exercício com impacto positivo na qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes com IAM recente e baixo risco cardiovascular.
Descrição
Citação
PEIXOTO, Thatiana Cristina Alves. Efeitos de um programa de exercícios progressivos na capacidade funcional e qualidade de vida em pacientes pós-infarto agudo do miocárdio submetidos à reabilitação cardiovascularEnsaio clínico controlado e randomizado. 2014. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.