Ações agudas da espironolactona e metabólitos na contratilidade da musculatura lisa

Ações agudas da espironolactona e metabólitos na contratilidade da musculatura lisa

Author Silva Neto, Julio Alves da Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Jurkiewicz, Aron Jurkiewicz Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Farmacologia
Abstract Esse trabalho busca caracterizar as ações da espironolactona e de dois importantes derivados: canrenoato de potássio (hidrossolúvel) e canrenona (lipossolúvel) na contratilidade do tecido muscular liso. Para isso, usou-se o ducto deferente isolado de rato pelo fato desse órgão possuir elevada reatividade adrenérgica. Nesse sentido, foram realizadas curvas de contração mediadas pelos agonistas adrenérgicos noradrenalina (NOR) e fenilefrina (FEN), na ausência e presença de espironolactona (ESP, 10, 30 e 100 μM), canrenona (CRN, 10, 30 e 100 μM) e canrenoato de potássio (CRNK, 3, 5 e 10 mM). Como agentes constritores usou-se também KCl e CaCl2. Experimentos foram realizados em associação ou não com os inibidores da Na+/K+-ATPase: ouabaína (OUA, 0,1 mM) ou metavanadato de sódio (NaVO3, 0,1 mM). Avaliou-se também a resposta em meio nutritivo cujo cálcio e potássio foram omitidos. Os resultados mostraram que na presença de ESP ou CRN ocorreu efeito antagônico, ou seja, em concentrações mais baixas (10 μM) ou concentrações mais altas (30 e 100 μM) houve, respectivamente, aumento e redução da resposta máxima ao agonista FEN, mas não a NOR. A associação de baixas concentrações de ESP + CRN não potencializou o efeito contrátil da FEN, porém na presença do bloqueador da Na+/K+-ATPase, OUA (0,1 mM), a ESP reduziu significativamente a contração, mas a CRN não alterou o efeito máximo desse agonista. Após bloqueio da Na+/K+-ATPase por NaVO3 (0,1 mM), a ESP e a CRN (10 μM) não modificaram a resposta máxima contrátil. Fazendo-se o bloqueio por omissão de KCl no líquido nutritivo e subsequente ativação por adição de KCl (1 a 10 mM) na presença de oubaína (0,1 mM), CRN e ESP (10 μM) observou-se a ordem crescente de relaxamento OUA (baixa), CRN (média) e ESP (alta, semelhante ao controle). Em meio nutritivo livre de cálcio + EDTA 1μM, houve redução da contração por fenilefrina (0,1 mM), que foi recuperada em parte por ESP, CRN e canrenoato e pela OUA e NaVO3. Quando a despolarização foi obtida por KCl (40 mM) a ESP (10 μM) aumentou e ESP (30-100 μM) reduziu os componentes fásico e tônico da contração. O canrenoato de potássio reduziu a resposta contrátil mediada pelos agonistas adrenérgicos, CaCl2, KCl e pelo bloqueador de canais de potássio, tetraetilamônio (TEA, 10 mM). Essa resposta inibitória sobre as contrações do TEA não foi observada na presença de ESP e CRN. Isto indica uma diverdidade nos mecanismos de ação entre ESP e os respectivos metabólitos, havendo alguma interação da ESP e metabólitos com a Na+/K+-ATPase, a qual desencadearia fenômenos intracelulares relacionados à mudança nos efeitos contráteis.
Keywords espironolactona
canrenona
canrenoato de potássio
ducto deferente de rato
bomba de sódio e potássio
Language Portuguese
Date 2013-06-26
Published in SILVA NETO, Julio Alves da. Ações agudas da espironolactona e metabólitos na contratilidade da musculatura lisa. 2013. 77 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Farmacologia
Knowledge area Ciências biológicas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 77 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=119730
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48442

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account