Tratamento da insônia crônica primária com o uso de técnicas de biofeedback: revisão sistemática e metanálise

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2015-12-17
Autores
Medeiros, Denise Lima de [UNIFESP]
Orientadores
Prado, Gilmar Fernandes Do Prado [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: A insônia constitui o distúrbio de sono mais prevalente na população geral, com importantes consequências para a saúde e a para a funcionalidade dos indíviduos acometidos. O tratamento da insônia ainda configura um desafio na prática clínica, e abrange diversas medidas não-farmacológicas. O presente estudo tem como objetivo identificar a existência de evidências científicas que embasem a utilização das técnicas de biofeedback no tratamento da insônia crônica primária. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática de ensaios clínicos randomizados e quasi-randomizados que avaliem o emprego das diversas técnicas de biofeedback para o tratamento da insônia crônica primária. Foi realizada busca ampla nas seguintes bases de dados: MEDLINE (1966 até dias atuais), LILACS (1982 até dias atuais), COCHRANE LIBRARY e EMBASE (1980 até dias atuais), sem restrições de idioma. Foram selecionados os estudos que comparam o emprego das técnicas de biofeedback com o uso de outras técnicas de terapia cognitivo-comportamental, placebo ou ausência de tratamento. Os desfechos clínicos avaliados foram: latência do sono, tempo total de sono, fragmentação e macroestrutura do sono, eficiência do sono, qualidade de vida, sonolência excessiva diurna, satisfação com o sono e efeitos colaterais da terapia. Principais resultados: O uso das técnicas de biofeedback resultou em melhora significativa da latência do sono avaliada por polissonografia (DM -17.30, IC 95% [- 32.23,-2.37], p=0.02) e da latência do sono estimada por diários de sono (DM - 18.00, IC 95% [-29.98,-6.02], p=0.03), em relação ao placebo. Ainda a respeito da latência do sono estimada por diários de sono, os mesmos achados foram encontrados na comparação das técnicas de biofeedback com a ausência de tratamento (DM -36.33, IC 95% [-62.33, -10.33], p=0.006). Não houve diferença entre biofeedback e outras técnicas de terapia cognitivo-comportamental. Os seis estudos incluídos apresentaram alto risco de viés e a qualidade das evidências encontradas foi classificada como baixa. Conclusões: De acordo com os resultados da revisão sistemática e metanálise, há evidências de que existe algum benefício no uso das técnicas de biofeedback para o tratamento da insônia crônica primária, principalmente para melhora da latência do xxii" " sono. A qualidade da evidência, entretanto, é baixa. Dessa forma, faz-se necessária a realização de ensaios clínicos randomizados com melhor qualidade metodológica
Descrição
Citação
MEDEIROS, Denise Lima de. Tratamento da insônia crônica primária com o uso de técnicas de biofeedback: revisão sistemática e metanálise. 2015. 135 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.