O funk na escola: que bonde é esse? cultura, sexualidade e relações de gênero entre adolescentes : expressões da cultura funkeira no cotidiano de uma escola da periferia paulista

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013-09-16
Autores
Bezzerra, Denis Ricardo [UNIFESP]
Orientadores
Vitalle, Maria Sylvia de Souza [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Este estudo, no campo interdisciplinar da Educação e da Saúde, teve por objetivo compreender as manifestações que são costumeiramente entendidas como expressão da “cultura funkeira” no que se refere ao comportamento, sexualidade e as relações de gênero de adolescentes de uma escola pública da zona leste de São Paulo. O método utilizado foi a pesquisa do tipo etnográfica envolvendo os seguintes instrumentos: observação participante; caderno de campo; fotos; questionários e entrevistas desenvolvidos para este fim. O funk é hegemônico entre os adolescentes da escola e revela os comportamentos de agressividade e violência que permeia a comunidade escolar; evidencia o desconhecimento sobre sexualidade e seu exercício saudável, confundindo sexualidade com sexo e denuncia relações de gênero marcadas por uma hierarquia perversa. A cultura funkeira dita um estilo estético que valoriza o outro pelo uso das grifes, roupas e acessórios que ele possa possuir, transformando, assim, o individuo em objeto, coisificando-o. Parece, então, que neste universo, não ter, não possuir, desqualifica o individuo em sua construção, diminuindo-o e desvalorizando-o em todas as suas manifestações, quer no desenvolvimento de sua identidade comportamental, de sexualidade e gênero. O funk se mostrou como uma forma de expressão disseminadora de experiências e sentidos que se constituem diariamente no cotidiano dos adolescentes.
Descrição
Citação
BEZZERRA, Denis Ricardo. O funk na escola: que bonde é esse? Cultura, sexualidade e relações de gênero entre adolescentes: expressões da cultura funkeira no cotidiano de uma escola da periferia paulista. 2013. 191 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2013.