Gasto energético de pacientes com artrite reumatoide nas atividades da vida diária

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2014-06-26
Autores
Garcia, Janaina Moreno [UNIFESP]
Orientadores
Lombardi Júnior, Imperio [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A Artrite Reumatoide (AR) é uma doença inflamatória sistêmica, crônica e progressiva caracterizada pelo comprometimento da membrana sinovial das articulações periféricas, cuja prevalência é de 1% a 5% da população mundial e 0,2% a 1% da população brasileira, afetando três vezes mais mulheres na faixa etária de 30?50 anos de idade. A AR pode gerar danos reversíveis, que são os processos inflamatórios e danos irreversíveis, que são os danos à estrutura corpórea, afetando principalmente as articulações do metacarpo, metatarsofalangianas, tornozelos e punhos, de caráter simétrico e aditivo. O aumento do fluxo sanguíneo na articulação causa calor e vermelhidão da membrana sinovial, o aumento de líquido sinovial causa edema, dor, calor, rubor local e deformações articulares. O diagnóstico da AR é feito por associação de dados clínicos, laboratoriais e radiográficos, indicados pelo Colégio Americano de Reumatologia-ACR (2010). O tratamento visa reduzir a dor, edema articular, fadiga muscular e prevenir incapacidades. Nota-se que o atendimento multidisciplinar proporciona melhora clínica e funcional significatica em comparação com atendimento reumatologico padrão. Dois profissionais envolvidos no tratamento multidisciplinar da AR são os fisioterapeutas e os terapeutas ocupacionais. O fisioterapeuta procura identificar e maximizar o potencial de movimento e o terapeuta ocupacional visa reabilitar as atividades de vida diária (AVD), na tentativa de evitar ou diminuir a fadiga e cansaço muscular. Para analisar se o tratamento fisico usado na reabilitação fisica da AR pode ser feito o calculo do gasto energético do paciente durante a realização da atividade física. O gasto energético diário (GE) corresponde ao consumo energético basal, consumo de repouso, influência do efeito térmico dos alimentos e o consumo de oxigênio nas atividades físicas. Um tratamento da AR é a técnica de conservação de energia, que é uma forma de educar o paciente, sobre as maneiras de realizar tarefas e atividades cotidianas, visando um menor gasto energético, propiciando um menor desgaste articular, dor e manejo da fadiga muscular. Existem diferentes formas de mensurar a intensidade dos gastos energéticos, sendo um deles o equivalente metabólico (MET, abreviatura em inglês de Metabolic Equivalent), que em repouso, 1 MET corresponde a aproximadamente 3,5 ml/kg/min de O 2. Existem dois métodos para determinar a amplitude do gasto energético, chamados de calorimetria direta (CD) e calorimetria indireta (CI). CD é a produção real do calor medido por uma câmara hermética arejada e com isolamento térmico e a CI consiste em identificar o oxigênio consumido através da oxidação dos substratos energéticos e produção de gás carbônico eliminado pela respiração. Como resultados obtivemos diferença estatisticamente significante na atividade CAMA nas variáveis VO2 kg/ml/min (p: 0,049) entre os grupos e VCO2 ml/min (p: 0,048) na interação grupo e tempo e Mets (p: 0,095) e a atividade VARRER nas variáveis VO2 ml/min (p:0,04), VO2 kg/ml/min (p: 0,001) e R (p: 0,001) em relação ao tempo e na variável R (p:0,027) na interação grupo e tempo.
Descrição
Citação
GARCIA, Janaina Moreno. Gasto energético de pacientes com artrite reumatoide nas atividades da vida diária. 2014. 53 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2014.