Correlaçao da espessura cortical renal ultrassonográfica com a taxa de filtração glomerular em pacientes com e sem doença renal crônica

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2016-12-21
Autores
Ribeiro, Bruno Juca [UNIFESP]
Orientadores
Shigueoka, David Carlos Shigueoka [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado profissional
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
summary Objectives: to determine whether the thickness of the cortical renal (EC) ultrasound Shows a good linear correlation with the glomerular filtration rate (GFR) in With and without chronic kidney disease (CKD), as well as Sensitive, specific and accurate cutoff value to define the CKD through this Using the GFR as a reference. Methods: the study took place in two We performed renal ultrasonography in 45 non-CKD patients (GFR ? 60 ml / min) And we used data from 48 patients with CKD (GFR <60 ml / min) from a previous study Carried out by the same group, 4 years ago. The patients in this phase were screened from a Spontaneous demand. The renal morpho-structural parameters evaluated were Bipolar diameter (DBP), parenchyma (PE) thickness and EC. The GFR was calculated by Cockcroft Gault formula. The linear correlation coefficient (r) was calculated for To establish whether there was a relationship between the various renal measures and the GFR, A cut-off value was established to define DRC using EC. Results: The EC Mean in the left middle third of the non-CKD group was 0.96 ± 0.15 In the group with CKD, data obtained in the first phase of the study, this value was 0.68 ± 0.12 cm (maximum value: 1.14 cm / minimum value: 0.37 cm). Conclusion: We found a moderate positive correlation force between the GFR and the CE of the third Mean of the left kidney (r = 0.626, p <0.0001) in patients with and without CKD. The EC Presented sufficient accuracy and equated to the other parameters to define the CKD. The intersection of EC and DBL + PE increased sensitivity and specificity in Detection of DRC.
Objetivos: determinar se a espessura da cortical renal (EC) ultrassonográfica apresenta uma boa correlação linear com a taxa de filtração glomerular (TFG) em paciente com e sem doença renal crônica (DRC), assim como verificar se existe um valor de corte sensível, específico e acurado para definir a DRC através deste parâmetro, utilizando a TFG como referência. Métodos: o estudo ocorreu em duas fases: realizamos ultrassonografia renal em 45 pacientes sem DRC (TFG ? 60 ml/min) e utilizamos dados de 48 paciente com DRC (TFG <60 ml/min) de estudo prévio realizado pelo mesmo grupo, há 4 anos. Os pacientes desta fase foram triados de uma demanda espontânea. Os parâmetros morfo-estruturais renais avaliados foram diâmetro bipolar (DBP), espessura do parênquima (EP) e EC. A TFG foi calculada pela fórmula de Cockcroft Gault. Foi calculado o coeficiente de correlação linear (r) para estabelecer se houve relação entre as diversas medidas renais e a TFG, assim como verificado um valor de corte para definer DRC utilizando a EC. Resultados: A EC média aferida no terço médio do rim esquerdo no grupo sem DRC foi de 0,96 ± 0,15 cm, já no grupo com DRC, dados obtidos na primeira fase do estudo, esse valor foi de 0,68 ± 0,12 cm (valor máximo: 1,14 cm / valor mínimo: 0,37 cm). Conclusão: Verificamos uma força de correlação moderada positiva entre a TFG e a EC do terço médio do rim esquerdo (r=0,626; p<0,0001), em pacientes com e sem DRC. A EC apresentou acurácia suficiente e equiparada ao demais parâmetros para definir a DRC. A intersecção da EC com o DBL + EP aumentou a sensibilidade e especificidade na detecção da DRC.
Descrição
Citação
RIBEIRO, Bruno Juca. Correlaçao da espessura cortical renal ultrassonográfica com a taxa de filtração glomerular em pacientes com e sem doença renal crônica. 2016. 23 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.