Hanseníase em populações indígenas da região do Alto Rio Juruá, Acre

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2014-09-23
Autores
Teles, Stefanie Ferreira [UNIFESP]
Orientadores
Gamba, Monica Antar Gamba [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Leprosy (Hansen?s disease) is a infectious disease, caused by Mycobacterium leprae. It is endemic in many Brazilian regions as the North, Northeast and Center West. Although numbers trend downward, the state of Acre had a very high record rate in 2012 of 23,46/100.000 habitants. Objective: Identify the incidence of leprosy in the indigenous populations of the micro region Alto Rio Juruá in the state of Acre. Methods: Descriptive exploratory study of subjects for the presence of the disease in the indigenous population of Mâncio Lima county, and investigation of the Notification and Information System Diseases (SINAN) records for the period of 2009-2012. Individuals, socioeconomics, cultural, epidemiological, and clinical variables were studied, with approval from the National Commission of Ethics in Research. Results: Three leprosy cases were identified amidst the indigenous subjects of Mâncio Lima in the Nawa and Puyanawa ethnic groups, and another twelve subjects were screened for the presence of the disease. The two cases observed in men were classified as multibacillary borderline and lepromatous clinical forms and I and II incapacity degrees, respectively. The third observed case occurred in an under 15-year old girl in the Nawa ethnic group. None of the twelve-screened subjects presented any typical alterations of the disease. Conclusions: Indigenous people represented in this study are under environmental and social conditions that are conducive for leprosy development, in a way that those populations need special support against this disease.
A hanseníase é uma moléstia infecciosa causada pelo Mycobacterium leprae. É endêmica em várias regiões do Brasil incluindo o Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O estado do Acre, apesar da tendência decrescente para coeficientes de detecção, ainda apresenta classificação de endemicidade muito alta como registrada em 2012 com 23,46/100.000 habitantes. Objetivo: Caracterizar os casos de hanseníase na população indígena da microrregião do Alto Rio Juruá/Acre. Método: Estudo descritivo e exploratório que avaliou uma série de casos de hanseníase notificados pelo Sistema de Informação e Notificação de Agravos (SINAN) bem como seus respectivos contatos na população indígena de Mâncio Lima no período de 2009 a 2012. Foram investigadas variáveis individuais, socioeconômicas, culturais, epidemiológicas e clínicas. O projeto foi aprovado pela Comissão Nacional de ética em Pesquisa. Resultados: Três casos com diagnóstico de hanseníase foram identificados em indígenas do município de Mâncio Lima nas etnias Nawa e Puyanawa e doze contatos que foram avaliados para a suspeição da doença. Os casos identificados tiveram maior frequência em homens, dois deles foram classificados como multibacilares com forma clínica dimorfa e virchowiana e apresentaram grau de incapacidade I e II. Houve a ocorrência de um caso da etnia Nawa em < 15 anos. Os contatos que foram avaliados para a suspeição da doença não tiveram alterações características da mesma. Conclusões: Conclui-se que os indígenas estudados estão inseridos em condições ambientais e sociais favoráveis ao desenvolvimento da hanseníase e que há a necessidade de uma atenção especial para a avaliação e pesquisa da doença nessas populações.
Descrição
Citação
TELES, Stefanie Ferreira. Hanseníase em populações indígenas da região do Alto Rio Juruá, Acre. 2014. 128 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.