Hipoidratação em escolares e sua relação com o consumo de água livre e o estado nutricional

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2016-06-23
Autores
Dias, Francine Canovas [UNIFESP]
Orientadores
Morais, Mauro Batista de [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objectives: To assess the prevalence of hypohydration in students according to urine osmolality; to study the relationship between hypohydration and: free water consumption, nutritional status and seasons; and to evaluate the diagnostic value of the use of a urine color scale to characterize hypohydration in students. Methods: A cross-sectional study conducted at two public schools in the city of Osasco, SP. The evaluation of the state of hydration was carried out according to urinary osmolarity adopting the cutoff of 800 mOsm/kg. Results: A total of 475 students were evaluated, 60.4% (N=287) were female and 39.6% (N=188) were male. The overall prevalence of hypohydration in the studied population according to urine osmolality was of 63.1%, of which 40.8% had intense hypohydration and 22.3% had maximum hypohydration. The frequency of hypohydration was higher in males than in females (p =0,007) and was more frequent in winter than in other seasons (29.9%; p=0,002). There was no correlation between the urine color scale and urine osmolality (Kappa=0,04). Hypohydration showed no relation with socioeconomic status, nutritional status and estimated free water consumption. Conclusion: There was a high prevalence of hypohydration in studied students, being more frequent in males and during winter.
Objetivos: Avaliar a prevalência de hipoidratação em alunos de acordo com a osmolaridade urinária; estudar a relação entre hipoidratação com: consumo de água livre, estado nutricional e estações do ano; avaliar o valor diagnóstico do emprego de uma escala de cor da urina para a caracterização de hipoidratação em escolares. Metodologia: Estudo transversal analítico realizado em duas escolas públicas no município de Osasco, SP. A avaliação do estado de hidratação foi realizada de acordo com a osmolaridade urinária adotando o ponto de corte de 800 mOsm/kg. Resultados: Foram avaliados 475 alunos, 60,4% (N=287) do sexo feminino e 39,6% (N=188) do sexo masculino. A prevalência total de hipoidratação na população estudada de acordo com a osmolaridade urinária foi 63,1%, sendo 40,8% de hipoidratação intensa e 22,3% de hipoidratação máxima. A frequência de hipoidratação foi maior no sexo masculino do que no sexo feminino (p=0,007) e foi mais frequente no inverno do que nas outras estações do ano (29,9%; p=0,002). Não houve concordância entre a escala de cor da urina e osmolaridade urinária (Kappa=0,04). Hipoidratação não apresentou relação entre condição socieconômica, estado nutricional e estimativa de consumo de água livre. Conclusão: Observou-se alta prevalência de hipoidratação nos alunos estudados, sendo mais frequente no sexo masculino e no inverno.
Descrição
Citação
DIAS, Francine Canovas. Hipoidratação em escolares e sua relação com o consumo de água livre e o estado nutricional. 97 f. 2016. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.