Da multidão ao império: o ceticismo teórico de Antonio Negri

Imagem de Miniatura
Data
2015-03-23
Autores
Rios, Valdir Lemos [UNIFESP]
Orientadores
Amadeo, Javier [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
With the end of World War II (1939-1945), two emerging powers would dispute the world hegemony by occasion of the Cold War (1947-1991): the United States, leading the capitalist conglomerate, and the Soviet Union, leading the socialist set. Soon after the period of Cold War, Empire, the book, creates a fuss in academic circles and in the media with their provocative theses. The authors of Empire advocate the end of imperialism, replaced by the rise of the empire, based on the central idea of the decline of the sovereignty of the nation state, and on the secondary concept of crowd. However, we consider that the emergence of the new political subject to which Hardt and Negri refer is the idea that the way to the empire and the nation-state sovereignty of the decline is a secondary assumption in their work. Such a perspective by Hardt and Negri, especially by the latter, comes as a result of his political experience when joining the Italian ?operarismo? movement during the 1970s and 1980s, a period when the concept of multitude was in a process of birth, and when a theoretical break lead him to his theoretical skepticism.
Com o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), emergiram duas potências que disputariam a hegemonia mundial quando da Guerra Fria (1947-1991): Estados Unidos, liderando o bloco capitalista, e União Soviética, liderando o bloco socialista. Logo após esse período de Guerra Fria, a obra Império ecoou de forma polêmica nos círculos acadêmicos e na mídia com suas teses provocantes. Os autores de Império defendem o fim do imperialismo e, no seu lugar, defendem o surgimento do império, fundamentado na ideia central do declínio da soberania do Estado-nação e na ideia secundária de multidão. Entretanto, consideramos que o surgimento do novo sujeito político ao qual Hardt e Negri se referem é a ideia que dá forma ao império e que o declínio da soberania do Estado-nação é um pressuposto secundário na construção dessa obra. A perspectiva de Hardt e Negri, especialmente do segundo, se deve à experiência política no movimento italiano conhecido como operarismo durante as décadas de 1970 e 1980, período em que o conceito de multidão estava em processo de germinação, e quando uma ruptura teórica levou ao ceticismo teórico
Descrição
Citação
RIOS, Valdir Lemos. Da multidão ao império: o ceticismo teórico de antonio negri. 2015. 110 f. Dissertação (Mestrado) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2015.