Drinking patterns between men and women in two distinct Brazilian communities

Imagem de Miniatura
Data
2008-09-01
Autores
Kerr-Corrêa, Florence
Tucci, Adriana Marcassa [UNIFESP]
Hegedus, Andrea Mary
Trinca, Luzia Aparecida
Oliveira, Janaina Barbosa de
Floripes, Tricia Maria Feitosa
Kerr, Ligia Regina Franco Sansigolo
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: A survey was conducted to compare gender differences in patterns of drinking in two stratified, urban and representative samples from two communities (B and RJr). METHOD: The Genacis (Gender, Alcohol, and Culture: an International Study) questionnaire was used. RESULTS: There were several significant differences in the demographics and patterns of alcohol use between these two samples. One had an older, more Catholic, educated, Caucasian population, with more women in the labor force. Data from B community showed that women and men had similar patterns of drinking. RJr had much higher use of alcohol among men, and almost 22% of those under 49 years old were binge drinkers. DISCUSSION: Access, smoking, income and having a heavy drinker partner were important risk factors for women's drinking. CONCLUSIONS: This study shows that when women's roles become more similar to men's, so do their drinking patterns.
OBJETIVO: Realizou-se um inquérito para comparar diferenças de gênero nos padrões de consumo de álcool em duas amostras urbanas, estratificadas e representativas de duas comunidades (B e RJr). MÉTODO: O questionário Genacis (Gênero, Álcool e Cultura: Um Estudo Internacional Gender, Alcohol, and Culture: An Internacional Study) foi utilizado. RESULTADOS: Houve várias diferenças significativas em dados sociodemográficos e de padrões de uso de álcool entre essas duas amostras. Uma delas tinha população mais velha, educada, católica, branca e mais mulheres na força de trabalho. Dados da comunidade B mostraram que mulheres e homens tiveram padrões similares de consumo de álcool. RJr teve uso de álcool mais alto entre homens e 22% dos homens abaixo de 49 anos de idade tinham padrão de uso do tipo binge. DISCUSSÃO: O acesso, tabagismo, renda e ter um parceiro com consumo pesado de álcool foram fatores de risco importantes para o consumo das mulheres. CONCLUSÕES: Este estudo mostra que quando os papéis das mulheres se tornam similares aos dos homens, modificam seu padrão de consumo de álcool.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Psiquiatria. Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, v. 30, n. 3, p. 235-242, 2008.
Coleções