Revascularização do miocárdio minimamente invasiva

Nenhuma Miniatura disponível
Data
1996-06-01
Autores
Teles, Carlos Alberto [UNIFESP]
Buffolo, Enio [UNIFESP]
Petrizzo, Antônia
Ribeiro, Expedito
Silva, Lélio A
Mathias Junior, Wilson
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
There is a tendency in all fields of surgery to move towards less invasive surgical techniques in recent years. The end point of this study was to analyse the possibility of myocardial revascularization through a minimum left thoracotomy approach. From September 1995 till March 1996 we operated on 19 patients that had isolated lesion of interventricular anterior artery (IAA) and/or diagonal. The anastomoses were made by a left minor thoracotomy, opening the pleura at the 4º intercostal space. Through this incision we dissected the thoracic internal artery with ligation of only few branches. The anastomoses were performed without extracorporeal circulation, with a simple interruption of coronary blood flow. At the second postoperative day we studied the patients with angiography and transthoracic echo-Doppler, to verify patency and flow. All patients had uneventful recovery without major complications. Angiography was made in 16 out of 19 and showed patency in 13. The 3 patients with graft occlusion were reoperated on without complications. The presented technique did not involve ligation of the intercostal branches, however these branches were not demonstrated by angiography. Transthoracic Doppler showed good relationship with angiographic findings. The initial results with this technique suggest that we can have another option of minimum invasive myocardial revascularization for selected patients.
OBJETIVO: Tendência atual em todas as áreas da cirurgia aponta para táticas e técnicas cirúrgicas que tornem o ato operatório cada vez menos invasivo. O objetivo do presente estudo foi avaliar a viabilidade da revascularização do miocárdio através de mínima incisão torácica (minitoracotomia esquerda), sem circulação extracorpórea. CASUÍSTICA E MÉTODOS: De setembro de 1995 a março de 1996, um total de 19 pacientes portadores de lesões isoladas do ramo interventricular anterior (RIA) e/ou diagonal (Dg) foram submetidos a revascularização do miocárdio, tendo, como via de acesso, toracotomia anterior paraesternal esquerda, de aproximadamente 7 cm de extensão, ao nível do 4º espaço intercostal. Através dessa incisão foi dissecada a artéria torácica interna esquerda (ATIE) em extensão suficiente para a realização da anastomose com o RIA efetuada sem circulação extracorpórea. No 2º dia de pós-operatório esses pacientes foram submetidos a arteriografia e eco-Doppler transtorácico da ATIE para verificação das condições do enxerto e da persistência de fluxo pelos ramos intercostais não ligados por ocasião da dissecção parcial da artéria. RESULTADOS: Todos os pacientes tiveram boa evolução pós-operatória. O resultado da ATIE realizado em 16 dos 19 pacientes operados mostrou padrões angiográficos excelentes em 13 deles. Não se demonstrou contrastação dos ramos intercostais não ligados durante a dissecção. O Doppler transtorácico se correlacionou com as condições dos enxertos. CONCLUSÃO: Os resultados iniciais obtidos na revascularização do miocárdio através de minitoracotomia esquerda sugerem ser esta uma boa alternativa tática para portadores de lesão isolada do RIA com excelente resultado estético.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 11, n. 2, p. 82-85, 1996.