Evolução clínica de pacientes com insuficiência renal aguda em unidade de terapia intensiva

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2008-01-01
Autores
Bernardina, Lucienne Dalla
Diccini, Solange [UNIFESP]
Belasco, Angélica Gonçalves Silva [UNIFESP]
Bittencourt, Ana Rita de Cássia [UNIFESP]
Barbosa, Dulce Aparecida [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE:To evaluate the clinical outcome of acute renal failure (ARF) patients when submitted to dialysis and non-dialysis treatments in ICU. METHODS: this prospective study included patients over 18 years of age and serum creatinine of >1.5 mg/dl. The patients were included in dialysis and non-dialysis groups. RESULTS: The study included 70 patients, 19 (27.1%) comprised the dialysis group and 51 (72.9%) the non-dialysis group. In the dialysis group, mortality rate was 42.1% and in the non-dialysis group was 33.3% (p<0.58). CONCLUSION: There were multifactors of ARF in ICU, but ARF is not the single cause for the high mortality rate in ICU patients.
OBJETIVO: Evaluar la evolución clínica de pacientes con insuficiencia renal aguda (IRA) sometidos a tratamiento dialítico y no-dialítico en la UCI. MÉTODOS: Se trata de un estudio prospectivo donde fueron incluídos pacientes mayores de 18 años y con creatinina sérica > 1,5 mg/dl. Los pacientes fueron divididos en grupo dialítico y no-dialítico. RESULTADOS: De los 70 pacientes incluídos 19 (27,1%) fueron del grupo dialítico y 51 (72,9%) del grupo no-dialítico. La tasa de mortalidad fue del 42,1% en el grupo dialítico y del 33,3% en el grupo no-dialítico (p<0,58). CONCLUSION: Hay multifactores que determinan la IRA en la UCI, sin embargo, no es causa aislada de las elevadas tasas de mortalidad de los pacientes en la UCI.
OBJETIVO: Avaliar a evolução clínica de pacientes com insuficiência renal aguda (IRA) submetidos a tratamento dialítico e não-dialítico na UTI. MÉTODOS: Estudo prospectivo onde foram incluídos pacientes com idade maior que 18 anos e com creatinina sérica > 1,5 mg/dl. Os pacientes foram divididos em grupo dialítico e não-dialítico. RESULTADOS: Dos 70 pacientes incluídos 19 (27,1%) foram do grupo dialítico e 51 (72,9%) do grupo não-dialítico. A taxa de mortalidade foi de 42,1% no grupo dialítico e de 33,3% no grupo não-dialítico (p<0,58). CONCLUSÃO: Há multifatores determinando a IRA na UTI, porém, não é causa isolada das elevadas taxas de mortalidade dos pacientes na UTI.
Descrição
Citação
Acta Paulista de Enfermagem. Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), v. 21, n. spe, p. 174-178, 2008.