Síndrome vasoplégica: nova forma de síndrome pós perfusão

Nenhuma Miniatura disponível
Data
1996-03-01
Autores
Gomes, Walter José [UNIFESP]
Silas, Marcelo Grandini [UNIFESP]
Lopes, Marly Garcia [UNIFESP]
Fonseca, José Honório de Almeida Palma da [UNIFESP]
Teles, Carlos Alberto [UNIFESP]
Branco, João Nelson Rodrigues [UNIFESP]
Carvalho, Antonio Carlos [UNIFESP]
Buffolo, Enio [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A new form of postperfusion syndrome, termed vasoplegic syndrome and presenting in the postoperative period of heart surgery with cardiopulmonary bypass (CPB) is described. The patients exhibit hipotension, normal or elevated cardiac output, low systemic vascular resistance and decreased filling pressures. Physical examination revealed normal capillary filling atthe extremities, but oliguria and hipotension. These patients needed a high dosage of vasoconstrictor drugs (norepinephrine) for blood pressure control and even high dose of norepinephrine did not produce the classical situation of cool extremities. Twelve patients who presented signals and symptoms of vasoplegic syndrome are shown. The characteristics of vasoplegic syndrome are similar to those observed in the septic shock. In sepsis, the alterations are mediated by cytokines and TNF-α. The appearance of vasoplegic syndrome augments operative morbidity, with an increased risk to the patient.
Uma nova forma de síndrome pós perfusão, denominada síndrome vasoplégica, aparecendo no período pós-operatório imediato de cirurgias cardíacas com circulação extracorpórea (CEC) é apresentada. As manifestações dessa síndrome incluem hipotensão, débito cardíaco normal ou aumentado, resistência vascular sistêmica diminuída e pressões de enchimento baixas. O exame físico mostra que, mesmo com hipotensão, os pacientes apresentam bom enchimento capilar de extremidades, mas com oligúria. Há necessidade de uso de vasoconstrictores potentes para manutenção da pressão arterial e, mesmo com altas doses de noradrenalina, não há o quadro clássico de extremidades frias. Doze pacientes que apresentaram sinais e sintomas compatíveis com a síndrome vasoplégica são mostrados. O quadro da síndrome vasoplégica mostra semelhança com o observado no choque séptico. Na sepse, as alterações são mediadas pelas citocinas, entre elas o TNF-α, que também já foi demonstrado serem ativadas pela CEC. O aparecimento da síndrome vasoplégica eleva a morbidade operatória, com conseqüente aumento de risco para o paciente.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 11, n. 1, p. 39-43, 1996.