Ensaio clínico randomizado por cluster para avaliação da efetividade de um instrumento de reconhecimento diagnóstico e de orientação terapêutica de transtorno depressivo em atenção primária à saúde

Show simple item record

dc.contributor.advisor Matos, Delcio [UNIFESP]
dc.contributor.author Tsuji, Selma Rumiko [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2016-07-04T15:34:34Z
dc.date.available 2016-07-04T15:34:34Z
dc.date.issued 2007-10-05
dc.identifier.citation TSUJI, Selma Rumiko. Ensaio clínico randomizado por cluster para avaliação da efetividade de um instrumento de reconhecimento diagnóstico e de orientação terapêutica de transtorno depressivo em atenção primária à saúde. 2007. 174 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2007.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39351
dc.description.abstract Objetivo: Avaliação da efetividade de um instrumento de reconhecimento diagnóstico e de orientação terapêutica para transtornos depressivos em atenção primária. Método: Ensaio clínico controlado com randomização por cluster de oito médicos clínicos das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Marília, estado de São Paulo, Brasil. Os médicos clínicos foram randomizados para tratarem os pacientes do modo habitual ou para experimentarem um guia de tratamento para pacientes diagnosticados com depressão, de acordo com os critérios do DSM-IV e com pontuação de 8 a 22 pontos na escala HAM-D de gravidade de depressão. Entre os pacientes encaminhados para avaliação por uma psiquiatra foram recrutados 30 pacientes para cada médico clínico. Os pacientes foram atendidos pelo médico clínico por dezesseis semanas, com três atendimentos de apoio no primeiro mês, e, mensalmente, do segundo ao quarto mês. Medidas de desfecho: Reconhecimento diagnóstico com início de tratamento para o paciente com transtorno depressivo pelo médico clínico, e remissão clínica para o paciente após dezesseis semanas de acompanhamento. Resultados: As taxas de perdas foram de 23 /114 (20.2%) e 13/120 (10.8%) respectivamente no grupo de tratamento habitual e de intervenção (p = .153). No 4º mês, a taxa de remissão clínica para o paciente foi de 65/114 (57.0%) no grupo de tratamento habitual e 84/120 (70.0%) no grupo de intervenção experimental (p = .004). A taxa de início de tratamento no grupo experimental (119/120 (99.2%)) foi maior do que no de tratamento habitual (100/114 (87.7%), mas a diferença não foi estatisticamente significativa (p = .154). Conclusões: O uso de um instrumento de orientação diagnóstica e terapêutica permitiu aos médicos clínicos de atenção primária, a aplicação de intervenção terapêutica adequada resultando na remissão clínica dos pacientes diagnosticados com depressão, no entanto sem alterar as taxas de reconhecimento diagnóstico e início de intervenção terapêutica. pt
dc.description.abstract Objective: To evaluate the effectiveness of a diagnosis recognition and treatment guide for treating depressive disorders in a primary care setting. Methods: Cluster randomized controlled clinical trial with eight primary care clinicians being the unit of randomization to either use usual care or an experimental treatment guide for treating patients diagnosed with depression according to DSM-IV criteria and with a HAM-D depression severity scale between 8 and 22. For each clinician 30 patients referred to a psychiatrist were recruited to participate. Patients were seen by the clinician at weeks 2, 4, 8, 12 and 16 following their initial visit. Main outcome measures were appropriate treatment of depressive disorder by the clinician and clinical remission after sixteen weeks of follow-up. Results: Patients withdrawal rates were 19/114 (16.7%) and 9/120 (7.5%) in the usual care and intervention arm, respectively (p = .122). At four months the clinical remission rate was 65/114 (57.0%) in the usual care arm and 84/120 (70.0%) in the intervention arm (p=.004). The appropriate treatment rate was higher in the intervention arm (119/120 (99.2%)) than in the usual care arm (100/114 (87.7%)), but the difference was not statistically significant (p=.154). Conclusion: The use of a diagnosis recognition and treatment guide for depression by primary care clinicians improves patient clinical remission rates. However this study did not show that the use of a guide changes the diagnosis recognition and appropriate treatment rates. en
dc.format.extent 174 f.
dc.language.iso por pt
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.rights Acesso aberto pt
dc.subject Efetividade pt
dc.subject Ensaios clínicos controlados aleatórios pt
dc.subject Atenção primária à saúde pt
dc.subject Depressão pt
dc.subject Condutas na prática dos médicos pt
dc.title Ensaio clínico randomizado por cluster para avaliação da efetividade de um instrumento de reconhecimento diagnóstico e de orientação terapêutica de transtorno depressivo em atenção primária à saúde pt
dc.title.alternative Cluster randomized clinical trial to evaluate the effectiveness of a diagnosis recognition and treatment guide for depressive disorders in primary care en
dc.type Tese de doutorado pt
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file Publico-39351.pdf
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt
unifesp.graduateProgram Saúde baseada em evidências - São Paulo pt



File

Name: Publico-39351.pdf
Size: 2.723Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account