TLR-2 and TLR-4 expression in monocytes of newborns with late-onset sepsis

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2014-09-01
Autores
Redondo, Ana Carolina Costa
Ceccon, Maria Esther Jurfest Rivero
Silveira-Lessa, Ana Lúcia
Quinello, Camila
Palmeira, Patricia
Carvalho, Werther Brunow [UNIFESP]
Carneiro-Sampaio, Magda Maria Sales
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objective: To analyze toll-like receptor (TLR)-2 and TLR-4 expression in monocytes of newborns with late-onset sepsis.Methods: This prospective study included 27 full-term newborns aged 8 to 29 days, with clinical and laboratory diagnosis of late-onset sepsis. Ten newborns (37%) had positive cultures. Cytokines were measured by cytometric bead array in peripheral blood, while TLR-2, TLR-4 expression, and median fluorescence intensity (MFI) were determined by immunophenotyping peripheral whole blood monocytes, and were analyzed with a BD FACSDiva flow cytometer (Becton, Dickinson and Company, USA). A comparison was performed with healthy adults.Results: Microorganisms were identified in 37% of these septic newborns, and all of them had high levels of pro-inflammatory cytokines (IL-8, IL-6, IL-1 beta) and anti-inflammatory cytokine (IL-10) corroborating the inflammatory/septic process. in monocytes, the frequency of TLR-4 expression was higher in infected newborns (p = 0.01).Conclusion: This study investigated the innate immune response in septic newborns. Septic newborns that relied almost exclusively on the innate immune system showed little in vivo response at nnonocyte activation, suggesting impaired immune response and increased susceptibility to infection. (C) 2014 Sociedade Brasileira de Pediatria. Published by Elsevier Editora Ltda. All rights reserved.
Objetivos: Analisar a expressão dos TLR-2 e TLR-4 em monócitos de recém-nascidos com sepse tardia. Métodos: Trata-se de um estudo prospectivo com 27 recém-nascidos a termo entre 8 e 29 dias de vida com diagnóstico clínico e laboratorial de sepse tardia dos quais dez (37%) apresentaram cultura positiva. As citocinas foram determinadas por teste de CBA em sangue periférico enquanto que a expressão e MFI (mediana de intensidade de fluorescência) dos TLR-2 e TLR-4 foi determinado por imunofenotipagem em monócitos de sangue periférico total através de análise pelo citômetro de fluxo BD FACSDiva. O grupo usado para comparação foi de adultos saudáveis. Resultados: Microrganismos foram identificados em 37% dos pacientes e estes juntamente com os pacientes com sepse clínica tiveram níveis elevados de citocinas pró-inflamatórias (IL-8, IL-6, IL-1) e de citocina anti-inflamatória (IL-10) corroborando o processo inflamatório/infeccioso. No monócito, a frequência de expressão do TLR-4 foi mais elevada (p = 0,01). Conclusões: Este estudo analisou a resposta imune inata no recém-nascido com sepse. Recém--nascidos sépticos que dependem quase exclusivamente do sistema imune inato apresentaram pouca resposta in vivo na ativação de monócitos o que sugere uma resposta imune deficiente e maior susceptibilidade à infecção.
Descrição
Citação
Jornal de Pediatria. Rio de Janeiro, Rj: Soc Brasil Pediatria, v. 90, n. 5, p. 472-478, 2014.
Coleções