Demographic dynamics of the Suyá, a Jê people of the Xingu Indigenous Park, Central Brazil, 1970-2004

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2007-05-01
Autores
Pagliaro, Heloisa [UNIFESP]
Carvalho, Natália da Silva [UNIFESP]
Rodrigues, Douglas Antonio [UNIFESP]
Baruzzi, Roberto Geraldo [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
This paper analyses the demographic dynamics of the Suyá, a Jê people, inhabitants of the Xingu Indigenous Park, Mato Grosso State, Brazil, during the years 1970-2004. Data was gathered from medical records of the São Paulo Federal University Health Program at the Xingu Indigenous Park. The demographic characteristics addressed include composition by age and sex, crude birth rates, general mortality rates, mortality rates by age and sex, proportional mortality by sex, age, and basic causes of death. The results show a population recovery process, with growth rates of 3% per year between 1970 and 2004. In addition to moderate birth rates and declining mortality rates, migration has also played an important role in the demographic dynamics. Mortality indicators show a decline in general and infant mortality rates, higher death rates among women, higher proportions of deaths among individuals < 1 and 50+ years of age, and major causes of death to be infectious diseases and cancer.
Este estudo analisa a dinâmica demográfica dos Suyá, povo Jê habitante do Parque Indígena do Xingu, Mato Grosso, Brasil, no período 1970-2004. As fontes de dados são as fichas médicas e os livros de registro de eventos vitais do Programa de Saúde da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) no Parque Indígena do Xingu, alimentados regularmente desde 1965. As medidas demográficas estimadas são: composição por idade e sexo, taxas brutas de natalidade, taxas de fecundidade geral, taxas de mortalidade geral, infantil e por idade e sexo, mortalidade proporcional por sexo, idade e causas básicas de morte. O estudo mostra que os Suyá estão vivenciando um processo de recuperação populacional, tendo crescido 3% ao ano, entre 1970 e 2004. Além de taxas de natalidade moderadas e mortalidade em declínio, a migração exerceu papel importante na dinâmica demográfica desse povo. Os indicadores de mortalidade apontam para: declínio da mortalidade geral e infantil; mais altos níveis de mortalidade entre as mulheres; maiores proporções de óbitos concentradas entre < 1 ano e > 50 anos; dentre as principais causas de morte, além das doenças infecciosas e parasitárias, figuram também as neoplasias malignas.
Descrição
Citação
Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 23, n. 5, p. 1071-1081, 2007.
Coleções