Preliminary evaluation of the endovascular treatment of intracranial aneurysms with detachable coils in vigil patients

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006-12-01
Autores
Fonseca, José Roberto Falco [UNIFESP]
Abdala, Nitamar [UNIFESP]
Nalli, Dárcio Roberto [UNIFESP]
Idagawa, Marcos Hideki [UNIFESP]
Alves Junior, João de Deus da Costa [UNIFESP]
Marques, Márcio Chaves Pedro [UNIFESP]
Carrete Junior, Henrique [UNIFESP]
Nogueira, Roberto Gomes [UNIFESP]
Szejnfeld, Jacob [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Endovascular treatment of intracranial aneurysms with coil embolization became the most important therapeutic option with better morbidity and mortality rates and quality of life. Following immobility, patients are treated with general anaesthesia. OBJECTIVE: To test viability of endovascular treatment on wake patients. METHOD: Considering clinical symptoms, psychological characteristics and aneurysmal morphology, four patients with five intracranial aneurysms were selected. RESULTS: Four among five cases were completed with this technique. Patient 1 was partially treated after 75 minutes presenting vesical stress. Patient 2 presented subarachnoid hemorrhage after aneurysmal re-rupture, and the procedure was completed under general anaesthesia. The other three patients presented no intercurrences during the treatment. CONCLUSION: Endovascular treatment on wake patients with intracranial aneurysm can be an alternative to a selected group of patients.
O tratamento endovascular de aneurismas intracranianos com espirais destacáveis estabeleceu-se como principal opção terapêutica na maioria dos pacientes, por menores taxas de morbidade e mortalidade. De forma geral, os pacientes são tratados sob anestesia geral, pela necessidade de imobilidade. OBJETIVO: Avaliar a viabilidade do tratamento endovascular de aneurismas intracranianos em pacientes no estado de vigília. MÉTODO: Cinco aneurismas foram tratados em quatro pacientes selecionados, considerando-se quadro clínico, a intenção de colaboração do paciente e características morfológicas do aneurisma. RESULTADOS: A abordagem proposta foi possível em quatro dos cinco casos. O paciente 1 obteve compactação parcial do aneurisma, pois o tratamento foi interrompido por desconforto vesical. O paciente 2 apresentou hemorragia subaracnóidea por re-ruptura do aneurisma, e o tratamento foi completado no mesmo tempo sob anestesia geral. Nos demais casos, não houve intercorrências. CONCLUSÃO: O tratamento endovascular de aneurismas intracranianos em pacientes no estado de vigília é viável em grupo selecionado de pacientes.
Descrição
Citação
Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 64, n. 4, p. 899-904, 2006.
Coleções