Avaliação da agregação plaquetária e dosagem do fibrinogênio em pacientes com doenças cardiovasculares e sua correlação com o uso de aspirina e fatores de risco coronariano

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006-09-01
Autores
Gabriel, Sthefano Atique
Tristão, Cristiane Knopp
Izar, Luciana Cristante
Domingues, Carolina
Gabriel, Edmo Atique [UNIFESP]
Cliquet, Marcelo Gil
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To evaluate aspirin resistance in patients with cardiovascular diseases and to compare the amount of serum fibrinogen in patients taking aspirin with those who do not. To correlate the platelet aggregation and serum fibrinogen to cardiovascular risk parameters. METHODS: Eighty-two patients were divided into two groups: Group 1 - 41 patients who took 100mg aspirin daily and Group 2 - 41 patients who did not utilized platelet antiaggregates. Epidemiological data were collected including age, gender and information on smoking and alcohol intake and serum fibrinogen and platelet aggregation were mesured. RESULTS: In the groups analyzed, advanced age (p=0.011), smoking (p=0.009) and alcoholism (p=0.007) were directly associated to the serum fibrinogenen level. There were no correlations between smoking, alcoholism, serum fibrinogen and platelet aggregation values (p>0.05). In Group 1, 29% of the patients presented with aspirin resistance. Of these, smokers (p=0.029) and the alcoholics (p=0.033) had higher serum fibrinogen levels. CONCLUSION: Aspirin resistance was present in a high number of patients. Moreover, advanced age, smoking and alcoholism had a direct influence on the serum fibrinogen levels.
OBJETIVO: Avaliar a resistência à aspirina em pacientes com doenças cardiovasculares. Avaliar a dosagem do fibrinogênio sérico em pacientes usuários de aspirina, comparando-a com os que não a utilizam. Correlacionar a agregação plaquetária e o fibrinogênio sérico com parâmetros ligados ao risco cardiovascular. MÉTODO: Oitenta e dois pacientes divididos em dois grupos: grupo 1 - 41 pacientes que utilizaram aspirina na dose de 100mg/dia e grupo 2 - 41 pacientes que não utilizaram antiagregante plaquetário. Foram coletados dados epidemiológicos quanto a idade, sexo, tabagismo, etilismo, e foram realizadas dosagens de fibrinogênio sérico e agregação plaquetária. RESULTADOS: Nos grupos analisados, a idade avançada (p=0,011), o tabagismo (p=0,009) e o etilismo (p=0,007) apresentaram associação direta com o fibrinogênio sérico. Não houve correlação entre tabagismo, etilismo, fibrinogênio sérico e os valores da agregação plaquetária (p>0,05). No grupo 1, 29% dos pacientes apresentaram resistência à aspirina. Destes, os tabagistas (p=0,029) e os etilistas (p=0,033) exibiram fibrinogênio sérico mais elevado. CONCLUSÃO: A resistência à aspirina esteve presente em número elevado de pacientes. Além disso, idade avançada, tabagismo e etilismo influenciaram diretamente o fibrinogênio sérico.
Descrição
Citação
Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 21, n. 3, p. 289-294, 2006.