Avaliação da capacidade de exercício em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica: comparação do teste de caminhada com carga progressiva com o teste de caminhada com acompanhamento

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2006-04-01
Autores
Rosa, Fernanda Warken [UNIFESP]
Camelier, Aquiles Assunção [UNIFESP]
Mayer, Anamaria [UNIFESP]
Jardim, José Roberto [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To evaluate the applicability of the incremental (shuttle) walk test in patients with chronic obstructive pulmonary disease and compare the performance of those patients on the shuttle walk test to that of the same patients on the encouraged 6-minute walk test. METHODS: A cross-sectional study was conducted, in which 24 patients with chronic obstructive pulmonary disease were selected. In random order, patients were, after an initial practice period, submitted to a shuttle walk test and an encouraged 6-minute walk test. RESULTS: The patients obtained a higher heart rate (expressed as a percentage of that predicted based on gender and age) on the encouraged 6-minute walk test (84.1 ± 11.4%) than on the shuttle walk test (76.4 ± 9.7%) (p = 0.003). The post-test sensation of dyspnea (Borg scale) was also higher on the encouraged 6-minute walk test. On average, the patients walked 307.0 ± 89.3 meters on the shuttle walk test and 515.5 ± 102.3 meters on the encouraged 6-minute walk test (p < 0.001). There was a good correlation between the two tests in terms of the distance walked (r = 0.80, p < 0.001). CONCLUSION: The shuttle walk test is simple and easy to implement in patients with chronic obstructive pulmonary disease. The encouraged 6-minute walk test produced higher post-test heart rate and greater post-test sensation of dyspnea than did the shuttle walk test.
OBJETIVO: Avaliar a aplicabilidade do teste de caminhada com carga progressiva em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica, e comparar o desempenho desses pacientes durante esse teste e o de caminhada de seis minutos com acompanhamento. MÉTODOS: Foi realizado um estudo de corte descritivo, em que foram selecionados 24 portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. Em ordem aleatória, realizou-se um teste de caminhada com carga progressiva e um de caminhada de seis minutos com acompanhamento, após um período de prática inicial. RESULTADOS: Os pacientes alcançaram no teste de caminhada com carga progressiva, em média, uma freqüência cardíaca máxima de 76,4 ± 9,7%, valor inferior aos 84,1 ± 11,4% alcançados no de caminhada de seis minutos com acompanhamento, em relação ao máximo previsto para idade e gênero (p = 0,003). A sensação de dispnéia ao final do teste (escala de Borg) também foi maior no de caminhada de seis minutos com acompanhamento. Os pacientes caminharam, em média, 307,0 ± 89,3 metros no teste de caminhada com carga progressiva, contra 515,5 ± 102, 3 metros no de caminhada de seis minutos com acompanhamento (p < 0,001). Houve boa correlação entre as distâncias percorridas entre os dois testes (r = 0,80, p < 0,001). CONCLUSÃO: O teste de caminhada com carga progressiva é simples e fácil de ser realizado em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. O teste de caminhada de seis minutos com acompanhamento levou a uma maior freqüência cardíaca e a maior sensação de dispnéia ao seu final.
Descrição
Citação
Jornal Brasileiro de Pneumologia. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, v. 32, n. 2, p. 106-113, 2006.
Coleções