Show simple item record

dc.contributor.authorBastos, Eduardo Lemos de Souza [UNIFESP]
dc.contributor.authorFagundes, Djalma José [UNIFESP]
dc.contributor.authorTaha, Murched Omar [UNIFESP]
dc.contributor.authorNovo, Neil Ferreira [UNIFESP]
dc.contributor.authorSilvado, Rubens Augusto Brazil
dc.date.accessioned2015-06-14T13:31:44Z
dc.date.available2015-06-14T13:31:44Z
dc.date.issued2005-10-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912005000500007
dc.identifier.citationRevista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 32, n. 5, p. 256-260, 2005.
dc.identifier.issn0100-6991
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2692
dc.description.abstractOBJECTIVE: The aim of this study is to assess the tensile strength of the preserved bovine peritoneum (PBP) as a surgical mesh in rats ventral hernia. METHODS: Using 57 rats, two mesh materials, the PBP and polypropylene (PP), were compared after implantation in a standardized ventral hernia model (full-thickness abdominal wall defects). After 7 (subgroup A) and 28 (subgroup B) days of implantation, they were removed and tensile strength assessment in vitro was performed. One group, with no procedure, just normal abdominal wall, was used as control for tensile strength. The Mann-Whitney and Kruskal- Wallis tests were applied for statistical analysis. RESULTS: All animals survived until the end point, but one (PBP group, subgroup B). No recurrence was seen during the period of observation. The mean load required to disrupt the interface were similar in PBP and PP groups, and both were weaker than normal group (p = 0,003) in all periods of observation. CONCLUSION: Preserved bovine peritoneum is a biological mesh that can be used for ventral hernia repair in rat model.en
dc.description.abstractOBJETIVO: Verificar a possibilidade de implantação e a capacidade de resistência tênsil do peritônio parietal bovino como tela cirúrgica na correção de hérnia ventral em um modelo animal de experimentação. MÉTODO: Utilizando 57 ratos machos Wistar, comparou-se o implante do peritônio bovino com a tela de polipropileno na correção de um defeito provocado na parede abdominal do animal. Após sete (sub-grupo A) e 28 (sub-grupo B) dias de observação, as peças foram retiradas e procedeu-se a avaliação da resistência à tração em Máquina Universal de Ensaios. Um grupo sem implante de material protético foi utilizado como controle nos testes de força tênsil. Os testes de Mann-Whitney e de Kruskal-Wallis foram utilizados e estabeleceu-se em 0,05 o nível para rejeição da hipótese de nulidade. RESULTADOS: Os testes de resistência à tração, com valores expressos em Newton, não mostraram diferenças estatísticas entre os grupos estudados, tanto no 7º quanto no 28º dia de pós-operatório, e ambos foram menos resistentes que a parede abdominal normal (p = 0,003). CONCLUSÃO: O peritônio parietal bovino apresentou resistência tênsil semelhante a da tela de polipropileno em um modelo de correção de hérnia ventral em ratos.pt
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.format.extent256-260
dc.language.isopor
dc.publisherColégio Brasileiro de Cirurgiões
dc.relation.ispartofRevista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões
dc.rightsAcesso aberto
dc.subjectHernia, Ventralen
dc.subjectSurgical meshen
dc.subjectPeritoneumen
dc.subjectModels, Animalen
dc.subjectHérnia ventralpt
dc.subjectTelas cirúrgicaspt
dc.subjectPeritôniopt
dc.subjectModelos animaispt
dc.titlePeritônio bovino conservado na correção de hérnia ventral em ratos: uma alternativa para tela cirúrgica biológicapt
dc.title.alternativePreserved bovine peritoneum for ventral hernia repair in rats: a biological surgical mesh alternativeen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionFaculdade de Medicina de Marília
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.contributor.institutionUniversidade de Santo Amaro Departamento de Saúde Coletiva
dc.contributor.institutionFAMEMA
dc.description.affiliationFaculdade de Medicina de Marília
dc.description.affiliationUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP) Escola Paulista de Medicina
dc.description.affiliationUNIFESP-EPM Departamento de Cirurgia
dc.description.affiliationUniversidade de Santo Amaro Departamento de Saúde Coletiva
dc.description.affiliationFAMEMA
dc.description.affiliationUnifespUNIFESP, EPM, Depto. de Cirurgia
dc.identifier.fileS0100-69912005000500007.pdf
dc.identifier.scieloS0100-69912005000500007
dc.identifier.doi10.1590/S0100-69912005000500007
dc.description.sourceSciELO


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record