Criação do pneumoperitônio mediante punção com agulha de Veress no hipocôndrio esquerdo: ensaio clínico, prospectivo e randomizado

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2005-10-01
Autores
Azevedo, Otávio Cansanção [UNIFESP]
Azevedo, João Luiz Moreira Coutinho [UNIFESP]
Sorbello, Albino Augusto
Godoy, Antônio Cláudio de
Menezes, Francisco Julimar Correia de [UNIFESP]
Aguiar-Yamaguchi, Gilmara Silva [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
BACKGROUND: In the creation of the pneumoperitoneum with the Veress neddle, all reported incidents occurred during the puncture in the midline of the abdomen. Albeit rare, such type of incident has a high mortality rate as it normally severs the large vessels. The objective of this research is to test the efficacy of a safer alternative method of puncture in the left hipocondrium. METHODS: Sixty two patients, distributed randomly into two groups were studied. Group HE: puncture in the left hipocondrium (n = 30), and Group LM: puncture in the medline of the abdomen (n = 32). An evaluation was carried out of the results of the tests as to the positioning of the needle, the number of failed attempts to access the peritoneal cavity and the time taken for the creation of the pneumoperitoneum. Real flows, intraperitoneal pressure, and injected volumes were recorded at 20 second intervals, until pressure had reached 12mmHg. RESULTS: The results of the test regarding the positioning of the Needle were equally positive. There were two unsuccessful attempts at piercing in Group LM and one in Group HE. The time taken for the creation of the pneumoperitoneum was on average of 3 minutes and 46 seconds for Group HE and of 4 minutes and 2 seconds for Group LM. The average measures recorded regarding flow, pressure and volume were equivalent in each Group, respectively. The statistical analysis has demonstrated that piercing of the left hypocondrium was as effective in the creation of the pneumoperitoneum as it was the case as regards the piercing of the medium line of the abdomen. CONCLUSION: The left hipocondrium must be the preferred place for the puncture with the Veress needle so as to create the artificial pneumoperitoneum by the closed technique, as it entails a smaller risk.
OBJETIVO: Na criação do pneumoperitônio com agulha de Veress por punção na linha média do abdome têm sido relatados acidentes que, apesar de raros, afetam freqüentemente os grandes vasos. O objetivo desta pesquisa é testar a eficácia da punção alternativa no hipocôndrio esquerdo e avaliar a eficácia e segurança desta punção. MÉTODO: Sessenta e dois pacientes distribuídos aleatoriamente em dois grupos foram estudados prospectivamente: grupo HE, punção no hipocôndrio esquerdo (n = 30), e grupo LM, punção na linha média do abdome (n = 32). Foram avaliados os testes de posicionamento da agulha, o número de tentativas frustradas e a duração da instalação do pneumoperitônio. Os fluxos correntes, as pressões intraperitoneais e os volumes injetados foram registrados a cada 20 segundos, até 12mmHg. RESULTADOS: Os testes de posicionamento foram positivos em ambos os grupos. Ocorreram duas tentativas infrutíferas de punção no grupo LM e uma no grupo HE. O tempo de duração para o estabelecimento do pneumoperitônio foi em média de 3 minutos e 46 segundos para o Grupo HE e de 4 minutos e 2 segundos para o grupo LM. As médias dos fluxos, das pressões e dos volumes foram respectivamente equivalentes entre os grupos. A análise estatística demonstrou que a punção no HE foi tão eficaz no estabelecimento do pneumoperitônio quanto a punção na LM do abdome. CONCLUSÕES: A punção no HE deve ser o local de escolha para a punção com agulha de Veress na criação do pneumoperitônio artificial pela técnica fechada, por ser segura e eficaz.
Descrição
Citação
Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 32, n. 5, p. 273-278, 2005.
Coleções