Custo da insuficiência cardíaca no Sistema Único de Saúde

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2005-05-01
Autores
Araujo, Denizar Vianna [UNIFESP]
Tavares, Leandro Reis [UNIFESP]
Veríssimo, Renata [UNIFESP]
Ferraz, Marcos Bosi [UNIFESP]
Mesquita, Evandro Tinoco [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
OBJECTIVE: To describe the direct and indirect costs of ambulatory and in-patient treatments of heart failure during 2002, in the University Hospital Antônio Pedro, Niterói. METHODS: A cross-sectional and retrospective study on utilization and valuation of resources in 70 patients, consecutively selected, under ambulatory and in-patient treatment. Questionnaires and records of the patients were used for data collection. The resources used were valuated in Brazilian Reais (2002). The study's point of view was the perspective from society. The data were analyzed in the EPINFO program, 2002 version. RESULTS: The studied population consisted of 70 patients (39 women), with average age of 60.3 years old. 465 in-patients days (28.5% of the patients) took place. There were 386 ward hospitalizations and 79 in ICUs. The cost with ambulatory appointments was R$ 14.40. The expenses with ambulatory medications amounted R$ 83,430.00 (R$ 1,191.86/patient/year). The cost per hospitalized patient was R$ 4,033.62. The cost with complementary examinations totaled R$ 39,009.50 (R$ 557.28/patient/year). Twenty patients retired due to heart failure, which represented a loss in productivity of R$ 182,000.00. The total cost was R$ 444,445.20. Hospitalization represented 39.7% and the use of medications 38.3% from direct costs. CONCLUSION: The hospitalization cost and the expenses with medications represented the main components of direct costs. Indirect costs represented economic impacts similar to direct costs.
OBJETIVO: Descrever custo direto e indireto do tratamento ambulatorial e hospitalar da insuficiência cardíaca, durante 2002, no Hospital Universitário Antônio Pedro, Niterói. MÉTODOS: Estudo transversal, retrospectivo sobre utilização e valoração de recursos em 70 pacientes, selecionados de forma consecutiva, em tratamento ambulatorial e hospitalar. Foram utilizados questionários e prontuários dos pacientes para coleta dos dados. Os recursos utilizados foram valorados em reais (ano 2002). O ponto de vista do estudo foi a perspectiva da sociedade. Os dados foram analisados no programa EPINFO, versão 2002. RESULTADOS: A população estudada constou de 70 pacientes (39 mulheres), idade média de 60,3 anos. Ocorreram 465 diárias hospitalares (28,5% dos pacientes). Houve 386 internações em enfermaria e 79 em unidade de tratamento intensivo. O custo com consulta ambulatorial foi de R$ 14,40. O gasto com medicamentos ambulatoriais totalizou R$ 83.430,00 (custo por paciente/ano de R$ 1.191,86). O custo por paciente internado foi de R$ 4.033,62. O custo com exames complementares totalizou R$ 39.009,50 (custo por paciente/ ano de R$ 557,28). Foram aposentados pela insuficiência cardíaca 20 pacientes, representando perda de produtividade de R$ 182.000,00. O custo total foi de R$ 444.445,20. Hospitalização representou 39,7% e a utilização de medicamentos 38,3% do custo direto. CONCLUSÃO: O custo com hospitalização e os gastos com medicamentos representaram os principais componentes do custo direto. Os custos indiretos representaram impactos econômicos semelhantes aos custos diretos.
Descrição
Citação
Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC, v. 84, n. 5, p. 422-427, 2005.
Coleções