Avaliação do polimorfismo do gene da cetecol-orto-metiltransferase(COMT) como fator relacionado ao desenvolvimento do leiomioma do útero

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2008
Autores
Oliveira, Emerson de [UNIFESP]
Orientadores
Girão, Manoel João Batista Castello [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivos: avaliar o polimorfismo da catecol-orto-metiltransferase como possível fator relacionado ao desenvolvimento de leiomioma do útero. Métodos: Foram comparadas, em estudo caso-controle, 124 mulheres com leiomioma uterino sintomático, que se submeteram a tratamento cirúrgico (casos) e 193 mulheres na pós- menopausa sem diagnóstico prévio ou atual dessa afecção (controles). Os grupos foram analisados quanto à presença do polimorfismo do gene da COMT. A genotipagem foi realizada por meio de reação em cadeia da polimerase (PCR), com DNA proveniente de punção venosa periférica no grupo controle, ou de fragmento de leiomioma retirado durante a histerectomia no grupo caso. Os grupos foram estratificados por raça e, a seguir, para cálculo da razão de chances, ou odds ratio (OR), para a ocorrência da doença, aplicou-se o modelo de regressão logística. O nível de significância adotado foi de 5 por cento (p < 0,05) e o intervalo de confiança foi de 95 por cento (95 por cento IC). Resultados: O polimorfismo da COMT foi mais prevalente nas mulheres da raça branca (p = 0,013). Após a estratificação pelo volume uterino, o modelo de regressão logística demonstrou que o polimorfismo da COMT, nas pacientes com leiomioma do útero, correlacionou-se com tumores maiores (OR = 4,35; 95 por cento IC = 1,58 – 12; p = 0,004). Conclusões: A presença do polimorfismo do gene da COMT correlacionou-se com tumores maiores nas mulheres com leiomioma do útero..
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2008. 105 p.