Cell proliferation and apoptosis in gastric cancer and intestinal metaplasia

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2005-03-01
Autores
Forones, Nora Manoukian [UNIFESP]
Carvalho, Ana Paula Souza
Giannotti-Filho, Oswaldo
Lourenço, Laércio Gomes [UNIFESP]
Oshima, Celina Tizuko Fujiyama [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Artigo
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
BACKGROUND: Higher proliferation is commonly observed in cancer cells. Apoptosis can be a useful measure of a tumor cell kinetic. Alteration of the balance between proliferation and apoptosis is associated with cancer. AIM: To study proliferation and apoptosis on gastric cancer and in intestinal metaplasia. METHODOLOGY: Twenty-two samples from gastric adenocarcinomas and 22 biopsies from intestinal metaplasia were studied. The apoptotic bodies in hematoxylin-eosin slides and the expression of p53, bcl-2 and Ki67 were determined by immunohistochemistry. RESULTS: The number of the apoptotic cells was higher in cancer. Ki 67LI increased from intestinal metaplasia to gastric cancer. p53 was positive in 68% of the patients with cancer, more frequently in advanced stage and negative in samples of intestinal metaplasia. Although there was no significant difference between the groups, bcl-2 was positive in 45% of gastric cancer tissue and in 68% of metaplasia. In gastric cancer patients bcl-2 was expressed in early gastric cancer more frequently than in advanced stage. CONCLUSION: The positivity of bcl-2 was higher in metaplasia and probably is involved in the progression of carcinogenesis. p53 was negative in metaplasia and positive in more than half of the gastric cancer, mostly in stage IV, suggesting a late event in gastric cancer.
RACIONAL: O aumento da proliferação celular é comumente observado no câncer e a apoptose pode ser medida útil na avaliação da cinética celular do tumor. Alterações do equilíbrio entre proliferação celular e apoptose estão associadas ao câncer. OBJETIVO: Avaliar a proliferação celular e a apoptose no câncer gástrico e na metaplasia intestinal. CASUÍSTICA E MÉTODOS: Vinte e dois tecidos de adenocarcinoma gástrico e 22 biopsias de metaplasia intestinal foram estudados. Os corpos apoptóticos foram estudados em lâminas coradas pela hematoxilina-eosina e a expressão de p53, bcl-2 e Ki67 por imunoistoquímica. RESULTADOS: O número de corpos apoptóticos foi maior no câncer. O Ki67LI aumentou no câncer gástrico em relação ao tecido com metaplasia intestinal. O p53 foi positivo em 68% dos pacientes com câncer, principalmente nos tumores avançados e negativo nos indivíduos com metaplasia intestinal. O bcl-2 foi expresso em 45% dos tecidos com câncer gástrico e em 68% dos tecidos com metaplasia, no entanto, esta diferença não foi significante. Nos doentes com câncer gástrico precoce, o bcl-2 foi expresso com maior freqüência quando comparados aos com câncer em estádio avançado. CONCLUSÃO: A expressão do bcl-2 foi maior no tecido com metaplasia, sugerindo envolvimento desta proteína na evolução da carcinogênese. O p53 foi negativo nos tecidos com metaplasia intestinal e positivo em 50% dos tecidos tumorais, principalmente nos doentes com câncer estádio IV, sugerindo ser um evento tardio no câncer gástrico.
Descrição
Citação
Arquivos de Gastroenterologia. Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBGSociedade Brasileira de Hepatologia - SBHSociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED, v. 42, n. 1, p. 30-34, 2005.
Coleções