Impacto de um programa de educação nutricional sobre o risco cardiovascular em pacientes hipertensos e com excesso de peso

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2007
Autores
Alvarez, Tatiana Souza [UNIFESP]
Orientadores
Zanella, Maria Teresa [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
A orientação nutricional tem mostrado beneficios para a redução do risco cardiovascular. Objetivos: Comparar os efeitos de dois protocolos de um programa de intervenção nutricional em relação ao risco cardiovascular em pacientes hipertensos e com excesso de peso, em tratamento medicamentoso para as diversas co-morbidades. Os pacientes foram acompanhados no Ambulatório de Hipertensão e Metabologia Cardiovascular-UNIFESPIEPM. Métodos: A população do estudo foi constituída por 92 pacientes hipertensos e com excesso de peso [índice de massa corporal (IMC) ? 26 e =619; 39 kglm2],com idade média de 55,7±6,1 anos; 25 homens e 67 mulheres, divididos em dois grupos de acordo com a freqüência das visitas, a cada cinco semanas (G35 n=46) ou a cada duas semanas (G 14 n=46), durante vinte semanas. Os pacientes atendidos foram submetidos a um programa de intervenção nutricional que englobou atendimentos em grupos, em que foram abordados conceitos de alimentação saudável. Antes e no final do período do estudo, todos os pacientes foram submetidos a medidas de pressão arterial, avaliação antropométrica e avaliação laboratorial para cálculo do risco coronariano de Framingham (RCF). Resultados: Ao término do estudo, em 38 e 25 pacientes dos grupos G14 e G35, respectivamente, foi observado redução significativa no IMC (G14 - 33,3±8,6 vs 32,5±8,4, p=O,002; G35 - 32,9±4,0 vs 32,3±4,0, P = 0,001), circunferência da cintura (G14 - 102,9±9,7 vs 101,4±9,8, P = 0,002; G35 ¬ 101,8±7,6 vs 100,5±7,7, P = 0,002), pressão arterial sistólica (G 14 - 139,7±12,4 vs 136,2±9,5, P = 0,002; G35 - 134,8±8,2 vs 133,2±6,2, P = 0,001), colesterol total sérico (G14 - 192,9±35,7 vs 188,5±40,3, P = 0,004; G35 - 195,2±37,8 vs 180,6±35,9, P = 0,002), consumo calórico referido (G14 - 1759,5±385,8 vs 1408,5±191,9, P = 0,001; G35 - 1858,7±:1:452,8 vs 1420,9±94,1, p = 0,001) e RCF (G14 - 11,1±6,1 vs 8,9±4,6, P = 0,001; G35 - 9,4±8,5 vs 7,6:1:3,9, P = 0,002). Conclusão: A intervenção nutricional educativa de curto prazo se mostrou eficaz para redução do risco cardiovascular em pacientes hipertensos e com excesso de peso. Em relação à freqüência das visitas, pôde-se verificar que a visita mensal já produz resultados positivos no sentido de modificar os hábitos alimentares e reduzir o risco cardiovascular.
Descrição
Citação
ALVAREZ, Tatiana Souza. Impacto de um programa de educação nutricional sobre o risco cardiovascular em pacientes hipertensos e com excesso de peso. 2007. 84 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2007.