Show simple item record

dc.contributor.advisorIorio, Maria Cecilia Martinelli [UNIFESP]
dc.contributor.authorMiranda, Elisiane Crestani de [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:46:49Z
dc.date.available2015-12-06T23:46:49Z
dc.date.issued2007
dc.identifier.citationSão Paulo: [s.n.], 2007. 136 p.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23335
dc.description.abstractObjetivo: Verificar a eficacia do Treinamento Auditivo Formal (TAF) em idosos usuarios de proteses auditivas, em diferentes periodos de adaptacao, por meio de testes de reconhecimento de fala e questionario de auto-avaliacao. Metodo: Foram selecionados 32 idosos deficientes auditivos usuarios de proteses auditivas intra-aurais em adaptacao binaural, de ambos os sexos, com idade media de 62,84 anos, divididos em dois grupos: 13 idosos adaptados com proteses auditivas ha mais de tres meses (Grupo I) e 18 idosos recem adaptados com proteses auditivas (Grupo 11). Estes grupos foram subdivididos aleatoriamente em Grupo Experimental (GIE e Gil E) e Grupo Controle (GIC e GIIC), por meio de sorteio. Os idosos dos Grupos Experimentais foram submetidos a sete sessoes de TAF, sendo uma sessao por semana, com duracao de 50 minutos cada, visando estimular as habilidades auditivas de fechamento auditivo, memoria, atencao, figura-fundo e integracao binaural. Ambos os grupos foram submetidos a tres testes comportamentais (IPRF, FRB e relacao S/R - LRSR) que avaliam a habilidade de reconhecimento de fala e fechamento auditivo e uma avaliacao subjetiva que consiste de um questionario de auto¬avaliacao (HHIE). Nos idosos submetidos ao treinamento auditivo, Grupos Experimentais (durante ou apos o periodo de aclimatizacao), os procedimentos foram aplicados em duas ocasioes diferentes, antes de iniciar o treinamento auditivo e apos oito semanas de treinamento auditivo (8a semana). O Grupo I (pos-aclimatizacao) foi submetido a uma terceira reavaliacao, apos quatro semanas do termino do treinamento (12a semana). Os idosos que nao receberam TAF, Grupos Controles, passaram pelo mesmo sistema de avaliacao que o seu respectivo Grupo Experimental, obedecendo ao mesmo intervalo de tempo entre as avaliacoes. Resultados: Os idosos do Grupo I Experimental (aclimatizados) apresentaram significante melhora no desempenho nas avaliacoes apos o treinamento auditivo em relacao ao Grupo I Controle. Ja nos idosos do Grupo 11 Experimental (nao aclimatizados) verificamos diferenca significante apenas entre as avaliacoes, mas nao em comparacao ao Grupo 11 Controle. Conclusao: O programa de treinamento auditivo em cabina acustica, associado ao uso de proteses auditivas, melhora o desempenho das habilidades de reconhecimento de fala e reduz a percepcao do handicap auditivo de idosos usuarios de proteses auditivas intra-aurais, independentemente do tempo de adaptacao ao uso da amplificacaopt
dc.format.extent136 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso restrito
dc.subjectIdosopt
dc.subjectAvaliação de resultados (cuidados de saúde)pt
dc.subjectReabilitaçãopt
dc.subjectAuxiliares de audiçãopt
dc.titleTreinamento auditivo formal em idosos usuários de próteses auditivas intra-auraispt
dc.title.alternativeFormal auditory training in elderly intraaura hearing aid usersen
dc.typeDissertação de mestrado
dc.identifier.fileepm-706151354006.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramDistúrbios da Comunicação Humana (Fonoaudiologia)


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record