Show simple item record

dc.contributor.advisorMello, Marco Tulio de [UNIFESP]
dc.contributor.authorFernandes-Junior, Silvio de Araújo [UNIFESP]
dc.date.accessioned2015-12-06T23:46:46Z
dc.date.available2015-12-06T23:46:46Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.citationFERNANDES-JUNIOR, Silvio de Araújo. Análise do impacto da presença de filhos em diferentes faixas etárias sobre o sono, fadiga e qualidade de vida de homens trabalhadores do turno noturno. 2014. 77 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
dc.identifier.urihttp://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23288
dc.description.abstractIntrodução: A inversão do ciclo natural entre a vigília e o sono poderá acarretar prejuízos para a saúde dos trabalhadores. Contudo, existem poucos estudos que avaliaram o sono, fadiga e qualidade de vida de trabalhadores do turno noturno considerando a influencia dos filhos nestas variáveis. Objetivo: Avaliar o tempo de sono, fadiga e a qualidade de vida de trabalhadores do turno noturno e verificar a relação destas variáveis com a presença ou não de filhos em diferentes faixas etárias. Métodos: Foram avaliados 78 homens distribuídos em três grupos: G1-sf (homens sem filhos), G2-pré (homens com filhos pequenos, em idade pré-escolar) e G3-esc (homens com filhos em idade escolar). A sonolência, cronotipo e qualidade de vida foram caracterizadas por meio de questionários subjetivos. O tempo médio de sono (TMS), eficiência (ES), latência (LS) e o tempo máximo em vigília (TMV) foram registrados por actimetria. Já o risco de estar fadigado durante o trabalho foi calculado por meio de um índice específico que pondera o tempo acordado e o tempo de sono tanto nas ultimas 24 quanto nas ultimas 48 horas até o momento da aplicação do questionário em questão (IRF). Resultados: Em todos os grupos o TMS nos dias de trabalho foi menor do que nos dias de folga (210,16 ± 70,19 min vs 377,31 ± 54,6 min - p<0,001). O G1-sf apresentou um TMS maior nos dias de trabalho em geral, assim como nos primeiros dias de plantão noturno (p<0,005). A faixa etária dos filhos não influenciou no TMS desta amostra. O TMV nos dias de folga foi menor nos avaliados do G2-pré. O G1-sf apresentou menor IRF nos primeiros dias de plantão noturno que os demais grupos. Conclusões: Na amostra do presente estudo, os trabalhadores sem filhos apresentaram maior tempo médio de sono durante os dias de trabalho e menor risco de estarem fadigados que os demais trabalhadores com filhos.pt
dc.description.abstractIntroduction: The reversal of the natural cycle of wakefulness and sleep may cause damage to the health of workers. However, there are few studies evaluating sleep, fatigue and quality of life of night shift workers considering the influence of small children on these variables. Aims: Evaluate the sleep time, fatigue and quality of life of night shift workers and verify the relationship between these variables with the presence or absence of children in different age groups. Methods: Were evaluated 78 mens shiftworkers spread in three groups, with or without children. Group 1, workers without children (G1 no children or G1-NC), group 2, workers with children pré-school age (G2-PS) and group 3, workers with children school age (G3-S). The somnolence and quality of life (QL) were evaluated with questionary. The sleep time (ST), sleep efficiency (SE), sleep latency (SL) and maximum time awake (MTA) were recorded by actigraphy. The risk of being fatigued at work was estimated by risk index for fatigue (RIF). Results: The ST on working days was lower than days off in all groups (210,16 ± 70,19 min versus 377,31 ± 54,6 min - p<0,001). The G1-NC showed a longer ST on working days and when evaluated only the first nights shift, after day off (p<0,005). This sample, the age of the children did not influence the sleep time these workers. The MTA on day off was lower in the workers from G2-PS. The RIF was lower on G1-NC in the first nights shift compared to the other groups. The workers on G3-S had the lowest proportion of workers who reported experiencing sleepiness during work. However, the variables related to quality of life do not showed difference between groups. Conclusion: In this research, workers without children had higher sleep time during the working days. These workers also were less likely to feel fatigued during night work than workers with children, regardless of age these children.en
dc.description.sponsorshipAssociação Fundo de Incentivo à Pesquisa (AFIP)
dc.description.sponsorshipCentros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID)
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
dc.format.extent77 p.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rightsAcesso aberto
dc.subjectHumanospt
dc.subjectMasculinopt
dc.subjectAdultopt
dc.subjectTrabalho em Turnospt
dc.subjectSonopt
dc.subjectFadigapt
dc.subjectQualidade de Vidapt
dc.subjectRelações Pais-Filhopt
dc.subjectShift Worken
dc.subjectChildrensen
dc.subjectSleepen
dc.subjectFatigueen
dc.subjectQuality of Lifeen
dc.titleAnálise do impacto da presença de filhos em diferentes faixas etárias sobre o sono, fadiga e qualidade de vida de homens trabalhadores do turno noturnopt
dc.title.alternativeImpact of the presence of children in different age groups on the sleep, fatigue and quality of life in men night shift workersen
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.identifier.fileTese-14522.pdf
dc.description.sourceBV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campusSão Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM)pt
unifesp.graduateProgramPsicobiologia - EPM
dc.subject.decsHumanospt
dc.subject.decsMasculinopt
dc.subject.decsAdultopt


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record