Vivências de jovens adolescentes soropositivos para o HIV/AIDS, acompanhados em serviços especializados na cidade de São Paulo.

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013
Autores
Galano, Eliana [UNIFESP]
Orientadores
Machado, Daisy Maria [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Os adolescentes que adquiriram HIV/aids por via vertical apresentam necessidades psicossociais e particularidades distintas dos adultos ou jovens que contrairam a doenca no periodo da adolescencia e, portanto, devem ser estudados separadamente. Este estudo teve como objetivo explorar os significados atribuidos pelos jovens sobre oviver a adolescencia com o HIVo, em um grupo de pacientes que adquiriu a infeccao ao nascimento, e os elementos implicados na adesao ao tratamento antirretroviral. Trata-se de pesquisa de natureza qualitativa, envolvendo 20 sujeitos (13 a 20 anos), acompanhados em servicos especializados no tratamento da aids pediatrica em São Paulo, Brasil. Foram realizadas entrevistas cujo roteiro foi composto por questoes abertas sobre suas historias pessoais, dificuldades e experiencias que enfrentam diante da infeccao pelo HIV/aids. Os resultados mostraram que o oser normalo e oser diferenteo foram questoes centrais no discurso dos participantes. Nesse sentido, a referencia a normalidade foi evidenciada pelas narrativas que igualam seu cotidiano ao de outros adolescentes que nao convivem com a doenca: eles trabalham, estudam, passeiam e interagem com familiares e amigos. Entretanto, a condicao de uma vida normal e garantida mediante a responsabilidade dos cuidados com a Saúde e a ressalva de que seja mantido o segredo do diagnostico. Quando se trata das questoes sobre sexualidade e envolvimentos amorosos, alem do desafio com a divulgacao ao parceiro, sao nitidas as preocupacoes com a transmissao do virus. As respostas sobre cuidados de Saúde apontam que a adesao ao tratamento e um processo dinamico e envolve momentos de maior ou menor interesse em relacao a tais cuidados. Emerge com grande forca nos relatos o cansaco diante das medicacoes e, por vezes, o desejo de suspende-las. Entretanto, a maioria esta consciente de que seguir as recomendacoes prescritas e a condicao necessaria para a manutencao de uma boa qualidade de vida. Os adolescentes possuem planos e projetos, como namorar, constituir familia, trabalhar, estudar e adquirir independencia. Apesar do HIV ser considerado um agente estressor, prevaleceram perspectivas positivas diante do futuro. O cuidado integral da Saúde do adolescente deve contemplar todas as experiencias e dificuldades no cotidiano desses jovens e nao apenas a prevencao de enfermidades e adesao a terapia antirretroviral
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2013. 163 p.