Efeitos da hiperprolactinemia no disco epifisário da tíbia de camundongos fêmeas ooforectomizadas após tratamento com esteóides sexuais

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013
Autores
Wolff, Roberta Bastos [UNIFESP]
Orientadores
Soares Junior, Jose Maria [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivo: Avaliar os efeitos da hiperprolactinemia induzida pelo tratamento continuo por 50 dias com metoclopramida no disco epifisario da tibia de camundongos femeas, adultas e ooforectomizadas apos o tratamento com estrogenio, progesterona e testosterona. Materiais e metodos: 140 camundongos femeas, adultas, virgens, com 100 dias de idade e com peso entre 30-35 gramas, foram divididas aleatoriamente em 14 grupos constituidos por 10 animais cada: V - tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9%; H u tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/V u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/H u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9%; Ovx/V+E u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol; Ovx/H+E u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol; Ovx/V+P u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2mg de propionato de progesterona; Ovx/H+P u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de colucao salina 0,9% e 2mg de propionato de progesterona; Ovx/V+T u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 90μg de propionato de testosterona; Ovx/H+T u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 90μg de propionato de testosterona; Ovx/V+E+P u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona; Ovx/H+E+P u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona; Ovx/V+E+P+T u ooforectomizados e tratados com 0,2 ml de metoclopramida e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona + 90μg de propionato de testosterona; Ovx/H+E+P+T u ooforectomizados e tratados com 200μg de metoclopramida dissolvida em 0,2 ml de solucao salina 0,9% e 2μg de propionato de estradiol + 2mg de propionato de progesterona + 90μg de propionato de testosterona. Todos os grupos foram tratados por 50 dias consecutivos. No 50o dia, os animais foram decapitados para a coleta do sangue da aorta e este foi enviado para analise da dosagem serica do hormonio prolactina e esteroides sexuais estrogenio, progesterona e testosterona. As tibias retiradas foram processadas, descalcificadas e emblocadas em parafina. Cortes do disco epifisario da regiao distal das tibias foram obtidos, onde foram analisados e obtiveram-se as estatisticas das analises morfometricas, apos coloracao com os corantes Hematoxilina/Eosina e Tricromio de Massom e imunoexpressao da proteina anti-apoptotica Bcl-2. Resultados: A hiperprolactinemia, assim como o procedimento de ooforectomia bilateral diminuiram significativamente a proliferacao celular e formacao ossea e aumentaram a morte celular no disco epifisario. No entanto, o tratamento com o estrogenio aumentou a proliferacao celular, a progesterona aumentou a formacao ossea e a testosterona aumentou tanto a proliferacao celular quanto a formacao ossea, idependemente do processo de ooforectomia bilateral e a hiperprolactinemia. Quando o tratamento foi ministrado conjuntamente, sempre os resultados foram melhores do que quando ministrado isoladamente. Os resultados da imunoexpressao da proteina anti-apoptotica Bcl-2 evidenciou positividade nos condrocitos do final da zona de cartilagem proliferativa e inicio da zona de cartilagem hipertrofica, mostrando que a aplicacao exogena dos esteroides sexuais faz com que haja uma maior protecao a cartilagem, devido a retardar a morte celular nessas celulas e com isso, aumenta a formacao ossea. Conclusoes: A ooforectomia e a hiperprolactinemia levaram os camundongos femeas a terem maior impacto negativo na qualidade da morfologia ossea, devido a degeneracao da cartilagem, causada por maior quantidade de morte celular programada. O tratamento com os tres esteroides sexuais associados produziu os resultados mais positivos sobre a morfologia e crescimento osseo do disco epifisario, do que quando utilizados isoladamente, independentemente do processo de ooforectomia bilateral e do tratamento com a metoclopramida
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2013. 87 p.
Coleções