Estudo Neuroquímico e comportamental da relação entre depressão e dependência ao etanol em camundongos

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2013
Autores
Teixeira, Patricia Varela Lima [UNIFESP]
Orientadores
Silveira, Dartiu Xavier da [UNIFESP]
Tipo
Dissertação de mestrado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Objetivos: A fim de verificar as consequencias comportamentais e neuroquimicas da depressao sobre a aprendizagem associativa ao uso do alcool, este estudo buscou verificar se a privacao de luz altera a preferencia condicionada ao local induzida pelo etanol em camundongos. Atraves de estudos imunohistoquimicos, foi avaliada a expressao de pCREB, pERK, C-fos e Histona 3, visando identificar os mecanismos neuroquimicos associados aos efeitos comportamentais. Considerando a importancia do sistema endocanabinoide no contexto deste estudo, tambem foi avaliada a imunoreatividade de receptores canabinoides tipo 1 (CB1R) e tipo 2 (CB2R). Metodos: Foram utilizados 36 camundongos suicos machos adultos. Foi realizada privacao de luz 24 horas/dia por quatro semanas. Na sequencia os animais foram readaptados a luz por sete dias. Como controle, utilizou-se animais mantidos no bioterio em ciclo claro escuro padrao (grupo Naive). Em seguida, os animais foram submetidos a uma serie de testes comportamentais para avaliar a emocionalidade (campo aberto, labirinto em cruz elevado, nado forcado e consumo de sacarose). Por fim, estes dois grupos foram submetidos ao protocolo de preferencia condicionada ao local induzida por etanol. Apos o teste da preferencia condicionada, os mesmos foram perfundidos e seus cerebros processados para imunohistoquimica. Resultados: A privacao de luz foi capaz de induzir um estado de ansiedade (labirinto em cruz elevado), desamparo (nado forcado) e hiperatividade (campo aberto), mas nao de anedonia (consumo de sacarose). Essas alteracoes sao comumente vistas em diferentes modelos de depressao, mostrando que a privacao de luz e um modelo capaz de induzir um estado semelhante a depressao em animais. Alem disso, a privacao de luz inibiu a aquisicao e/ou expressao da preferencia condicionada ao local induzida por alcool. Estes efeitos comportamentais foram acompanhados por alteracoes neuroquimicas significativas. Conclusao: A privacao de luz mimetizou os aspectos comportamentais observados em outros modelos animais de depressao, fornecendo com isso, evidencias para a consolidacao do seu uso em estudos experimentais relacionados com a depressao. Alem disso, o modelo inibiu a aprendizagem associativa apetitiva induzida pelo etanol. Tais efeitos comportamentais foram acompanhados por alteracoes significativas do ponto de vista neuroquimico, que de certa forma, justificam os resultados comportamentais observados, tais como: alteracao na expressao de c-Fos, pCREB, pERK, H3, CB1R e CB2R
Descrição
Citação
TEIXEIRA, Patrícia Varela Lima. Estudo Neuroquimico e comportamental da relação entre depressão e dependência ao etanol em camundongos. 2013. 168 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2013.