Componentes do funcionamento executivo na esquizofrenia: um estudo de análise de variáveis latentes e estabelecimento de perfis

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2012
Autores
Berberian, Arthur de Almeida [UNIFESP]
Orientadores
Bressan, Rodrigo Affonseca [UNIFESP]
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Introdução: Deficits em funcoes executivas (FE) sao caracteristicas nucleares da esquizofrenia e estao associados com prejuizos funcionais, tais como vida independente, desempenho laboral, inicio e manutencao de relacoes interpessoais. Embora haja um consenso geral sobre quais tarefas engajam processamentos do controle executivo, ha ainda discordancia sobre os mecanismos cognitivos que o compoem. Com efeito, nao ha padroes de deficits de FE estabelecidos na esquizofrenia que possam ser relacionados a prejuizos funcionais ou a caracteristicas neurobiologicas da doenca. Baseado na premissa de que mecanismos distintos de FE podem apresentar consequencias comportamentais especificas, tres estudos foram realizados: Estudo 1 u Identificar, por meio de uma revisao sistematica da literatura, diferentes mecanismos de FE na esquizofrenia; Estudo 2 u Comparar a estrutura latente de um modelo com tres mecanismos de FE (memoria de trabalho/atualizacao, alocacao atencional e controle inibitorio) em portadores de esquizofrenia (n=141) e controles saudaveis (n=119), bem como explorar se cada mecanismo exerce influencia distinta sobre desfecho funcional; Estudo 3 u Estabelecer padroes de deficits executivos (perfis) numa amostra de portadores de esquizofrenia (n=141). Metodos: Estudo 1 u Uma busca por estudos sobre dimensoes de FE na esquizofrenia, sem limite de data, foi conduzida no banco de dados MEDLINE. Foram incluidos apenas artigos com dados originais e que consideravam mais de um mecanismo de FE. Estudo 2 e 3 u avaliacao transversal de portadores com esquizofrenia nos tres dominios de FE (quatro medidas de memoria de trabalho/atualizacao: tres medidas de alocacao atencional e duas medidas de controle inibitorio), dois testes de FE complexas (Torre de Londres e Teste Wisconsin de Classificacao de Cartas-64, WCST-64), uma medida de aprendizado/memoria verbal (Hopkins Verbal Learning Test, HVTL), um teste de inteligencia nao-verbal, duas tarefas de fluencia verbal (FAS e animais) e medidas de velocidade de processamento. Para desfecho funcional foram utilizadas as escalas Clinical Global Impression, Global Assessment of Functioning e Independent Living Skills Survey. Resultados: Estudo 1 u Trinta e quatro artigos preencheram os criterios de inclusao estabelecidos. Seis diferentes mecanismos de FE foram identificados na esquizofrenia: controle inibitorio, memoria de trabalho/atualizacao, alocacao atencional, abstracao, habilidade de gerar/supervisionar resultados e respostas a estimulos direcionados. De modo geral, estes mecanismos foram relacionados a sintomas negativos. Estudo 2 u A Analise Fatorial Confirmatoria de grupos multiplos indicou que, embora similar, a estrutura fatorial de ambos os grupos nao e identica em certo nivel de invariancia. Ou seja, quando parametros do modelo (i.e. variancia dos mecanismos e covariancia entre dos mesmos) foram tratados como identicos (parameter constraint), o ajuste do modelo diminuiu significativamente. A Analise de Equacao Estrutural revelou que memoria de trabalho/atualizacao e alocacao atencional contribuiram significativamente para medidas gerais de desfecho funcional. Controle inibitorio nao exerceu qualquer influencia. Estudo 3 u A analise de perfis encontrou seis padroes de FE: perfil preservado (24%), deficit em atualizacao (32%), deficit em controle inibitorio (6%), deficit em alocacao atencional (6%), perfil difuso (28%), deficit em todas as FE (4%). Analise de variancia multivariada de medidas repetidas demostrou importantes dissociacoes entre as habilidades, sugerindo que os perfis se diferenciam qualitativamente. Os seis perfis nao se diferenciaram em termos de caracteristicas clinicas e funcionalidade, porem o perfil de deficit em atualizacao demonstrou pior desempenho em memoria de trabalho (Teste de digitos), aprendizado verbal (HVLT) e fracasso na manutencao de contexto (WCST-64). Discussao: Os resultados da presente tese mostram a necessidade de se considerar diferentes mecanismos do funcionamento executivo na esquizofrenia. Os mecanismos de memoria de trabalho/atualizacao e alocacao atencional parecem contribuir para medidas gerais de desfecho funcional e constituem alvos que podem auxiliar no tratamento da esquizofrenia. Porem, estudos futuros com amostras maiores e diferentes, devem ser conduzidos para confirmar efetivamente se esta abordagem de classificacao de perfis e util para estudo e tratamento da esquizofrenia
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2012. 180 p.