Perfil de resistencia a antimicrobianos e fatores de virulencia em escherichia coli isoladas de infeccoes de corrente sanguinea do Projeto SCOPE Brasil

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2012
Autores
Rockstroh, Anna Carolina [UNIFESP]
Orientadores
Tipo
Tese de doutorado
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Resumo
Antecedentes - A Escherichia coli e um dos principais agentes causadores de infeccao da corrente sanguinea em todo o mundo. Estudos tem demonstrado que a E. coli e o agente mais prevalente em infeccao da corrente sanguinea entre as bacterias Gram-negativas. Os mecanismos de resistencia e fatores de virulencia estao intimamente relacionados com aumento da morbidade e da mortalidade. A relacao entre ambos tem sido estudada, mas nao completamente elucidada. Metodos - Foram avaliados 90 isolados de E. coli a partir de um estudo multicentrico: SCOPE Brasil, distribuidos em cinco regioes brasileiras (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste) de janeiro de 2008 a dezembro de 2009. Todos os isolados foram identificados pelo sistema automatizados BD - Phoenix ®. O teste de sensibilidade antimicrobiana tambem foi realizado pelo mesmo sistema automatizado. Os pontos de cortes clinicos foram interpretados de acordo com as recomendacoes do CLSI (M100-S21). Para a deteccao dos genes de resistencia foram realizados Reacao em Cadeia da Polimerase (PCR)para blaCTXM, blaSHV e blaTEM. Para os fatores de virulencia foi realizada a tecnica colony blot atraves de 16 genes importantes para a classificacao de Escherichia coli extra-intestinal e Escherichia coli intestinal de acordo com JOHNSON e cols. (2003). Resultados - Observaram-se altos niveis de resistencia a ampicilina (70%), a ciprofloxacina (37%) e a ceftriaxona (25%). A partir dos 90 isolados, 14 (15,5%) foram positivos fenotipicamente ESβL. O teste molecular mostrou que, em 4 isolados foram detectados, concomitantemente, os genes blaCTMX-M2 e blaTEMlike. Um isolado revelou a presenca do gene blaSHV-like e outro revelou a presenca blaTEM-like. Dois isolados nao apresentaram nenhum dos genes testados, indicando que outros tipos de beta-lactamases podem estar envolvidos. A analise revelou que 33 dos isolados (37%) foram classificados como ExPEC. Em mais de 50% dos isolados foi detectada a presenca dos genes fimA, traT e ompT. Para a relacao entre a resistencia aos antibioticos e presenca de genes de virulencia descobrimos uma relacao estatisticamente significativa entre a resistencia a multiplas drogas e a presenca dos genes ompT e kpsMTII (p = 0,03) e entre a presenca de sfaDE e a sensibilidade as fluorquinolonas (p = 0,04). Tambem encontramos relacao quando comparamos isolados classificados como ExPEC com bacterias fenotipicamente classificadas como EsβL negativos. Conclusoes: Observamos altas taxas de resistencia para fluorquinolonas e ceftriaxona com baixa incidencia de fenotipo ESβL. Existe diferenca na frequencias de virulencia e multirresistencia em isolados de E. coli nosocomiais de infeccao da corrente sanguinea. Estas diferencas podem tambem ser notadas em isolados ESβL negativa e na presenca de genes de virulencia, indicando uma possivel implicacao da aptidao bacteriana em E. coli
Descrição
Citação
São Paulo: [s.n.], 2012. 112 p.
Coleções